Duas brasileiras entre as melhores atletas em cadeiras de rodas na Maratona de Londres

Aline Rocha e Vanessa de Souza, duas maratonistas brasileiras, concluíram a Maratona de Londres com colocações de destaque no pelotão de atletas em cadeiras de rodas. Aline ficou em 5º lugar e Vanessa, em 7º.

“Foi uma prova bem dura, não estava chovendo, mas tinha vento forte e meu corpo demora a aquecer”, conta Vanessa, que participou pela segunda vez da maratona londrina, tendo ficado na 11ª colocação em 2019.

Vanessa de Souza ficou em 7º lugar.

No quilômetro 15, um acidente com uma atleta suíça quase tirou Vanessa da competição. “Eu estava na frente e não vi o que aconteceu, mas senti o impacto e o toque da outra cadeira. Precisei apoiar minhas mãos no chão para que a minha cadeira não capotasse”, conta. Felizmente, ambas voltaram à competição sem ferimentos graves.

“Minhas mãos e dedos estão doloridos”, diz Vanessa, que é treinada por Eduardo Leonel.

Agora, Vanessa se prepara para deixar Londres rumo aos próximos compromissos: maratonas de Chicago (dia 10/10) e Boston (11/10). “Vai ser um grande desafio competir em duas maratonas em dias seguidos, serão 84 quilômetros em dois dias.”

Já Aline segue de Londres para o Brasil onde começa os treinamentos de esqui cross-country para as competições de esportes de inverno. Ela foi a primeira mulher brasileira a participar dos Jogos Paralímpicos de inverno, na Coreia do Sul, em 2018.

Aline Rocha ficou em 5º lugar.

Deixa Londres comemorando com o técnico Fernando Orso o melhor resultado nas quatro participações na Maratona. “Essa é uma maratona difícil, com subidas. É tão importante que alguns países a utilizam como qualificação para Copas do Mundo”, explica Aline, que em 2019 ficou e 8º lugar.

A maratona de domingo (03/10) começou com fortes emoções para Aline. “Um dos pneus da minha cadeira furou cinco minutos antes da largada”, conta. “O meu técnico, com ajuda de treinadores de outros países, conseguiu fazer a troca em tempo recorde e eu não perdi a largada.”

Maratona de Londres 2021

De volta ao curso tradicional e com corredores a competir por causas de caridade pela primeira vez desde 2019, a Maratona de Londres reuniu mais de 36.000 nas ruas da capital e 40.000 participantes.

A vencedora da corrida feminina foi Joyciline Jepkosgei do Quênia, que fez o percurso entre Greenwich e The Mall em 2: 17.42, detentora do recorde mundial Brigid Kosgei.

Sisay Lemma da Etiópia venceu a corrida masculina em 2: 04.01.

Marcel Hug e Manuela Schar, ambos da Suíça, estabeleceram recordes de percurso ao vencer as corridas em cadeiras de rodas.

Apoio às atletas

Aline e Vanessa foram convidadas pela organização da Maratona de Londres, que paga todos os custos da viagem e oferece premiação em dinheiro. As duas também recebem a Bolsa Atleta, do governo brasileiro, e aos poucos têm conseguido patrocinadores.

Aline Rocha é patrocinada pela Jumper Equipamentos e Formularium Joaçaba.

Vanessa de Souza tem como patrocinadores o laboratório Cellula Mater, Unimes, Fupes, além do apoio de clínica Jankauskas, Dermaformula, médico Thiago Chalhub, nutricionista Mariana Penatti,  Dux , Cluster Turismo, fisioterapeuta Tiago Selofite, massoterapeuta Luiz Nunes e Instituto Legacy.

Também pode interessar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *