Devido à variante Delta, o Reino Unido não está na “lista branca” da UE

A incorporação do Reino Unido à “lista branca” está em espera por causa da preocupação da União Europeia com a variante Delta. Esta semana, os 27 estados-membros disseram ter decidido esperar um pouco devido ao aumento dos casos de infecção da variante que teve origem na Índia, apesar do progresso na vacinação e baixo índice de mortes.

A União Europeia criou a “lista branca” no ano passado com a intenção de que vários países pudessem fazer viagens “não essenciais” ao seu território, desde que o país a ser incluído na lista tivesse situação epidemiológica igual ou melhor do que a existente na União Europeia.

Por esta razão, os residentes de países como Andorra, Mônaco, São Marino e Vaticano têm os mesmos privilégios fronteiriços que as pessoas que vivem na União Europeia.

E rotas para e da Austrália, Israel, Nova Zelândia, Japão, Ruanda, Coreia do Sul, Cingapura, Tailândia e China podem ser autorizadas.

Para decidir se um país deve ou não ser incluído na lista, analisa-se a situação nos últimos 14 dias em relação às infecções e como a nação lidou com a situação e preveniu novos surtos.

Portanto, após analisar o Reino Unido, foi decidido que desta vez não seria incluído na lista, isto como uma medida preventiva porque, embora tenha o limiar necessário, existe uma preocupação com a variante Delta.

O Japão foi incluído na lista, porque embora o país esteja atualmente em estado de emergência sustentada, há uma redução significativa no número de pessoas infectadas. Esta decisão significou muito para o país e para o mundo porque os Jogos Olímpicos, o evento esportivo mais importante no qual milhares de atletas de todo o mundo participarão, serão realizados em breve.

Também pode interessar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *