Em Londres, níveis de emprego pré-pandêmico só em 2023

O último relatório de perspectivas econômicas da prefeitura de Londres, publicado na terça-feira (25/05), mostra um forte crescimento provável este ano, mas os níveis de emprego pré-pandêmico provavelmente só voltarão em 2023.

O “choque negativo” do colapso do turismo internacional continuará a afetar os setores de hospitalidade, cultura, lazer e varejo.

Uma ação mais ousada será “essencial” para evitar mais desemprego na capital durante o próximo ano, o prefeito Sadiq Khan advertiu, ao publicar o último relatório sobre as perspectivas da economia londrina.

Novas análises mostram que grande parte da economia londrina deve se recuperar fortemente com o levantamento das restrições da COVID este ano, mas que os níveis de emprego na capital só podem se recuperar para seus níveis pré-pandêmicos no final do segundo trimestre de 2023.  

O aumento da taxa de desemprego em Londres no último ano foi maior do que em qualquer outra nação ou região do Reino Unido.

Os últimos estudos também mostram que o número de funcionários remunerados que vivem em Londres continua reduzido em 201.000 – ou 4,8% – desde março de 2020, quase o dobro da taxa de declínio registrada, em média, nacionalmente.

Enquanto a nova análise mostra que a economia de Londres poderia ver taxas anuais de crescimento da produção econômica “atraentes” este ano, poderia permanecer um “grande e persistente choque negativo” para setores como alojamento e serviços de alimentação, artes, entretenimento e recreação, e serviços de lazer, com um impacto contínuo no emprego.

A análise das previsões da VisitBritain mostrou que os gastos dos turistas estrangeiros no centro de Londres foram £ 7,4 bilhões menores ao longo de 2020, e com as restrições nas viagens internacionais permanecendo em vigor, é improvável que os níveis de gastos dos visitantes internacionais retornem no curto prazo.

Isto afetará diretamente os empregos de varejo, lazer, cultura e hospitalidade em Londres – um em cada cinco empregos na capital.

Não por acaso, o primeiro ato do prefeito após sua reeleição foi lançar #Let’sDoLondon, a maior campanha de turismo doméstico que a capital já viu, trabalhando com organizações de toda a cidade para incentivar os visitantes a voltar aos locais de hospitalidade e turismo de classe mundial de Londres.

Com o esquema de licença do governo previsto para terminar em 30 de setembro de 2021, o prefeito está pedindo ao governo que garanta que o apoio financeiro para empresas não essenciais de varejo, cultura e hospitalidade e lazer seja estendido até 2022, permitindo que as empresas retenham pessoal enquanto lidam com grandes níveis de dívidas acumuladas durante o fechamento.

O prefeito também está pedindo aos ministros que vão mais longe no esboço de um plano para apoiar empregos quando o esquema de licença terminar, incluindo mais apoio e maiores poderes descentralizados para intervir a fim de colocar as pessoas de volta ao trabalho.

Isto deve incluir formação e treinamento que possam ajudar as pessoas a encontrar empregos melhor pagos e mais seguros do que aqueles que perderam.

Alugueis atrasados

Os setores de cultura, varejo e hospitalidade também lutam pela resolução de disputas pendentes entre locadores e inquilinos sobre aluguéis pagáveis durante o confinamento.

A moratória de aluguel comercial e despejo está prevista para terminar em 30 de junho, o que poderia mergulhar muitas empresas em dificuldades, especialmente no caso de qualquer perturbação na flexibilização das medidas de fechamento.

Sadiq publicou um roteiro para a reabertura completa e segura da economia londrina, produzido diretamente com as empresas e os London Councils.

O prefeito de Londres disse: “Como as restrições da COVID continuam a ser levantadas, estou otimista de que grande parte da economia de Londres verá fortes níveis de crescimento este ano, e nós vamos nos recuperar desta crise econômica, como fizemos com os choques econômicos anteriores. Mas o que estes novos números mostram é que empregos em vários setores-chave ainda permanecem em risco quando o programa de licença chegar ao fim em setembro.”

Fonte: London.gov.br

Imagem: Unsplash

Também pode interessar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *