Pelo menos 85 mortos e dezenas de feridos no ataque à escola feminina em Cabul

De acordo com as primeiras versões, houve várias explosões detonadas fora de uma escola feminina em Cabul. Pelo menos 85 pessoas foram mortas, a maioria estudantes do sexo feminino, e 150 outras ficaram feridas.

Um porta-voz do Ministério do Interior descreveu o evento como um ato terrorista, embora ainda não esteja claro qual era o alvo do ataque. Segundo o presidente do Afeganistão, Ashraf Ghani, os rebeldes talibãs foram os responsáveis pelo ataque. Por sua vez, o porta-voz deste grupo, Zabihullah Mujahid, disse que eles não tiveram nenhum envolvimento.

Várias pessoas fizeram declarações sobre o assunto, incluindo Malala Yousafzai, ganhadora do Prêmio Nobel da Paz, que expressou solidariedade às vítimas e lamentou o que aconteceu contra a escola feminina em Cabul.

Pode interessar a você: Etapa 3 do roteiro para a liberdade: abraços permitidos a partir de segunda (17/05).

Através de sua conta no Twitter, a ativista disse: “Em Cabul, os terroristas cometeram um terrível ataque contra as alunas, em sua maioria meninas. Os líderes mundiais devem se unir para proteger as crianças em idade escolar. Meu coração vai para as famílias das vítimas da escola #Kabul.”

Por sua vez, a missão da União Europeia no Afeganistão disse: “O horrível ataque na área de Dasht-i Barchi, em Cabul, é um ato desprezível de terrorismo. Apontar principalmente para os alunos de uma escola feminina faz desse um ataque contra o futuro do Afeganistão. Nossos pensamentos vão para todas as pessoas afetadas”.

Eles disseram ainda que este ato é uma violação do direito humanitário internacional.

Pode interessar a você: Reeleito com 55,2% dos votos, Sadiq Khan lança campanha de turismo doméstico.

O Departamento de Estado dos EUA condenou o ataque e pediu “um fim imediato à violência e aos ataques sem sentido contra civis inocentes”.

De acordo com autoridades afegãs, os Talibãs aumentaram seus ataques recentemente. Os Estados Unidos e a OTAN anunciaram que esperam retirar todos os seus grupos armados até 11 de setembro.

Até agora, as autoridades dizem que ainda estão investigando quem é responsável pelo ataque que, de acordo com as primeiras versões, foi causado por três explosões e um carro-bomba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *