Oposição aponta cortes do governo como causa das longas esperas no NHS

Imagem: Unsplash

Labour Party acusa o governo britânico de falhar com os pacientes depois que o chanceler anunciou um corte de £ 30,1 bilhões em gastos diários do departamento de Saúde e Assistência Social, em um momento em que as listas de espera são recorde.

O líder do partido trabalhista Keir Starmer visitou um hospital em Derby na quinta-feira (04/03), pois documentos do Orçamento revelaram um corte planejado nos gastos diários a partir de abril deste ano.

Isso vem com uma nova análise publicada pelo partido que revela que o número de pacientes esperando mais de 18 semanas por tratamento aumentou em mais de 500% na última década. Quase um quarto de milhão de pessoas espera mais de um ano por tratamento. Estima-se que 4,59 milhões de pessoas estão atualmente na lista de espera para tratamento – o número mais alto jamais registrado.

Mesmo antes do impacto da pandemia, o número de pessoas esperando mais de 18 semanas havia aumentado em espiral nos nove anos anteriores, para mais de 720.000 em dezembro de 2019.

Apenas 68% dos pacientes na lista de espera estavam esperando 18 semanas ou menos – a meta legal para 92% dos pacientes receberem tratamento dentro de 18 semanas após o encaminhamento é foi atingida desde 2016.

Os números incluem pacientes à espera de cirurgias de quadril e joelho e remoção de cataratas, entre muitos outros procedimentos e tratamentos vitais para a qualidade de vida das pessoas.

Os gastos do NHS England cairão de £147,7 bilhões este ano para £139,1 bilhões a partir do próximo, apesar dos custos contínuos para o NHS da Covid e do enorme acúmulo de casos e listas de espera durante a crise.

Em novembro, a Health Foundation estimou que a compensação do acúmulo e a redução do tempo de espera custaria cerca de £2 bilhões por ano durante os próximos três anos.

Comentando as conclusões, Jonathan Ashworth, secretário de Saúde e Assistência Social da oposição, disse: “O chanceler está falhando com os pacientes, nosso NHS e seu pessoal ao cortar os serviços de linha de frente durante uma pandemia.

“Com listas já em alta recorde, isto significará que os pacientes aguardam ainda mais tempo em sofrimento por um tratamento vital. O orçamento foi escrito sobre as rachaduras ao invés de reconstruir as fundações de nosso país.”

Fonte: Labour Party

Também pode interessar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *