OMS alerta que pandemia pode seguir ativa até 2022

Por Maria Victoria Cristancho

Apesar do otimismo sobre as vacinas contra a Covid-19 que já estão sendo aplicadas em muitas partes do mundo e com os casos de contágio diminuindo, a Organização Mundial de Saúde (OMS) advertiu que a pandemia poderia permanecer ativa pelo menos até 2022.

Isto foi assegurado por Michael Ryan, um dos diretores executivos da OMS, dizendo que é “prematuro” e “irrealista” pensar que a pandemia terminará até o final do ano.

Em uma conferência de imprensa em Genebra, Ryan disse que enquanto vacinar as pessoas mais vulneráveis, incluindo os trabalhadores da saúde, ajudaria a tirar a “tragédia e o medo” da situação e ajudaria a aliviar a pressão sobre os hospitais, o “vírus é muito importante para ficar sob controle”.

Estas afirmações vieram depois que os dados mostraram que, pela primeira vez em dois meses, as infecções por coronavírus aumentaram, particularmente em seis regiões: América Latina, Europa, Sudeste Asiático e o Mediterrâneo Oriental.

De fato, segundo números da Universidade Johns Hopkins, o mundo está perto de 115 milhões de casos confirmados de coronavírus e, por esta razão, mais de 2,5 milhões de pessoas morreram em todo o mundo.

Comentando o relatório, o secretário-geral da Organização, Tedros Adhanom Ghebreyesus, disse que é decepcionante, mas não surpreendente. “Estamos trabalhando para entender melhor estes aumentos na transmissão.”

“Parte disto parece ser devido a medidas laxistas de saúde pública, a circulação contínua de variantes e pessoas baixando a guarda”, disse o diretor-geral da OMS, salientando que, embora as vacinas ajudassem a salvar vidas, “se os países estão confiando apenas nas vacinas, estão cometendo um erro.

Em suas próprias palavras, “é encorajador ver trabalhadores da saúde em países de baixa renda começando a ser vacinados, mas é lamentável que isso esteja acontecendo quase três meses após alguns dos países mais ricos terem iniciado suas campanhas de vacinação”.

Também pode interessar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *