Terceiro olho e a saúde ginecológica

Imagem: Unsplash

Por Priscila Schramm Gonsalez*

Quando falamos de terceiro olho, estamos falando da glândula pineal – uma pequena glândula endócrina que produz a melatonina, o hormônio do sono.

Também conhecida como terceiro olho, a glândula pineal supervisiona uma ampla gama de reações bioquímicas do seu corpo. Humor, pensamentos e qualidade do sono fazem parte das funções coordenadas por esta glândula, além de visualização, imaginação e intuição.

Ativar a glândula pineal é imprescindível para equilibrar a energia feminina. Com esta glândula funcionando você vai conseguir achar as respostas, encontrar as pessoas certas seja para colaborar com um projeto, ajudar na recuperação da sua saúde, encontrar a sua família de alma.

Na medicina tradicional, a glândula pineal é descrita como pequena glândula endócrina – do tamanho de um grão de arroz – com funções puramente fisiológicas: como a tireóide, pituitária e outras glândulas endócrinas, a glândula pineal sintetiza e secreta um hormônio – neste caso, melatonina. A melatonina é responsável por regular o ciclo sono / vigília e influencia o hipotálamo, uma região do cérebro que está envolvida na sede, fome, sono e atividade emocional.

Na Ioga, porém, a glândula pineal é muito mais do que um fenômeno físico; é considerada uma espécie de antena espiritual, permitindo um canal para acessar a consciência superior e se conectar com o divino. Quando a glândula pineal, está totalmente desperta, aumenta as nossas habilidades psíquicas, a clareza e a concentração.

Estresse, dieta pobre, água com flúor e outras influências podem afetar adversamente a glândula pineal, fazendo com que ela se calcifique. Além disso, poucas de nossas práticas modernas são projetadas para ativar a glândula pineal.

Práticas para ativar a glândula pineal e assim ativar a sua intuição e poder de cura:

1. Descalcifique: A calcificação é uma condição na qual os cristais de fosfato de cálcio são depositados em vários órgãos e tecidos do corpo. A calcificação das artérias é um fator de risco amplamente aceito nas doenças cardíacas; calcificação das articulações e tendões está associada à osteoartrite e tendinite. A glândula pineal pode se tornar calcificada da mesma forma. Beber refrigerantes e comer alimentos refinados e processados ​​contribuem para a calcificação. O maior impacto, porém, é o flúor da água da torneira e da pasta de dente. Para descalcificar a glândula pineal, evite o flúor em todas as formas. Use água filtrada para beber e tomar banho e compre pasta de dente sem flúor; para remover o flúor do corpo, são recomendados alimentos fontes de iodo. O tamarindo (uma erva ayurvédica), os suplementos de desintoxicação do fígado e as saunas secas também ajudam.

2. Desintoxique e estimule. Acredita-se que certas ervas e suplementos estimulem a glândula pineal e promovam a desintoxicação, incluindo a remoção dos depósitos de cálcio. Você encontrará muitos desses suplementos seguros e eficazes em sua loja local de vitaminas. Só vou falar de dois aqui porque o restante eu só indico tomar se você consultar alguém que entenda de fitoterapia. Ervas tem compostos concentrados e não são indicadas para qualquer pessoa:

– Spirulina, um tipo de alga verde-azulada que vem em comprimidos, pó e cápsulas; chlorella, outra forma de algas.

– Ômega 3: nutre a glândula pineal e ajuda a descalcificar os depósitos de cálcio.

3. Medite no escuro. A escuridão estimula a glândula pineal a produzir melatonina, mas nossos ritmos circadianos e a relação cíclica normal com o escuro foram interrompidos pelo advento da eletricidade e luz 24 horas. Um exercício simples: escurecer completamente uma sala usando cortinas opacas; apague as luzes, incluindo relógios digitais ou outros dispositivos que emitam pequenas quantidades de luz. Sente-se confortavelmente e, com os olhos abertos, olhe para a escuridão. Coloque a atenção da mente na respiração e, se os pensamentos surgirem, deixe-os ir embora. Faça isso por pelo menos 10 minutos; use uma pequena lanterna ou vela para facilitar a meditação.

4. Aromas: Acredita-se que certos óleos essenciais estimulem e despertem a glândula pineal e encorajem uma consciência espiritual elevada e estados mais profundos de meditação. Isso inclui sândalo, alfazema, pinho e óleo de artemisia. Adicione algumas gotas a um banho quente ou no travesseiro à noite.

5. Cante om. Há um efeito fisiológico real em cantar “om” ou certos outros sons sagrados; cantar faz os ossos do nariz e da cabeça vibrarem sutilmente, o que estimula a glândula pineal. Para uma prática de cura simples, cante “om” por 5 minutos ou mais, no caminho para o trabalho, no chuveiro ou antes de dormir para melhorar o sono.

6. Diz-se que os telefones celulares danificam a glândula pineal, emitindo CEMs, campos eletromagnéticos, e alguns estudos documentaram a interrupção da melatonina devido à exposição a CEMs. Existem essencialmente dois tipos de CEM: de baixa frequência, emitido por eletricidade e eletrodomésticos, e de alta frequência, de linhas terrestres sem fio, laptops, Wi-Fi e outras fontes semelhantes. Limite o uso do telefone celular, não carregue o telefone junto ao corpo, use o celular apenas onde a recepção for boa (quanto mais fraca a recepção, mais energia o telefone emite).

* Priscila Schramm Gonsalez é nutricionista funcional, especialista em desequilíbrios hormonais, saúde da mulher, doença crônicas e emagrecimento. Atende pacientes em consultório e pelo NHS. 

Você tem uma pergunta sobre nutrição, saúde e bem-estar? Envie para priscilasgonsalez@gmail.com

Também pode interessar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *