Baixa adesão de portugueses em UK e reeleição de Marcelo Rebelo de Sousa

Apenas 1,57% dos votantes inscritos nos consulados de Portugal no Reino Unido votaram neste fim de semana. Dos 140.729 eleitores com inscrição nos consulados de Londres e Manchester, 2.210 compareceram nos dois dias de votação presencial.

Entre os que compareceram, a preferência de votos não se distinguiu muito do resultado geral obtido, que garantiu a reeleição de Marcelo Rebelo de Sousa, que venceu nos 308 concelhos e continuará a ocupar a presidência pelos próximos cinco anos.

No Reino Unido, Marcelo teve 899 votos, o que equivale a 41,05%. Ana Gomes, do Partido Socialista (PS) ficou em segundo lugar também em UK, com 29,27% dos votos. Brancos e nulos somam 0,90%.

A baixa adesão dos portugueses a viver na Inglaterra não é uma surpresa. E foi, inclusive, prevista pelo grupo “Também somos portugueses”, lançado no Reino Unido em favor do voto postal.

Com as regras de confinamento, além do risco de contrair o vírus, os portugueses que foram até um dos consulados votar também se arriscaram a receber uma multa.

Em números totais na Europa, onde 981.438 portugueses estavam habilitados a votar, a adesão foi de 18.300 votantes. Só não é pior do que nas eleições europeias ocorridas em 26 de maio, quando apenas o voto presencial foi permitido e foram contabilizados 13.700 votos na Europa.

Já nas eleições legislativas de 6 de outubro, quando o voto pelos correios foi autorizado, 158.252 votaram. Mais de dez vezes superior, mas ainda bem abaixo dos 1,4 milhões de eleitores portugueses a viver fora de Portugal, segundo o censo de 2018.

Como votou a comunidade de portugueses no Reino Unido

Marcelo Rebelo Sousa – 41,05%

Ana Gomes – 29,27%

Tiago Mayan Gonçalves – 8,26%

Marisa Matias – 7,67%

André Ventura – 7,40%

João Ferreira – 4,34%

Vitorino Silva – 2,01%

Branco – 0,45%

Nulo – 0,45%

Fonte: SGMAI

Também pode interessar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *