Declarado alerta máximo em Londres. Propagação do vírus está fora de controle

Imagem: Unsplash

O prefeito de Londres Sadiq Khan declarou “major incident” (um alerta máximo para situações muito críticas) devido à rápida disseminação do coronavírus na capital e ao aumento dos casos de Covid-19 nos hospitais, o que deixou o NHS em risco de ser sobrecarregado.

O prefeito tomou a decisão após discussões com líderes do NHS de Londres, autoridades locais, NHS da Inglaterra e os serviços de emergência na capital.

Major incident é definido como um evento ou situação com uma série de consequências graves que requerem arranjos especiais a serem implementados por uma ou mais agências de resposta a emergências.

Um alerta máximo desse tipo foi declarado anteriormente quando ocorreram o incêndio da Torre Grenfell em junho de 2017, os ataques terroristas na Ponte Westminster e na London Bridge e o acidente do bonde Croydon em novembro de 2016.

Situação alarmante

Isto acontece porque o número de casos Covid-19 em Londres ultrapassou 1.000 por 100.000, colocando uma pressão imensa sobre um NHS já sobrecarregado. Entre 30 de dezembro e 6 de janeiro, o número de pacientes nos hospitais londrinos cresceu 27% (de 5.524 para 7.034) e o número de pacientes com ventilação mecânica cresceu 42% (de 640 para 908). Somente nos últimos três dias, o NHS anunciou 477 mortes em hospitais de Londres, após um teste positivo para o Covid-19.

As 7.034 pessoas atualmente no hospital com Covid-19 representam um aumento de 35% em comparação com o pico da pandemia em abril. Há atualmente cerca de 830 admissões por dia nos hospitais de Londres – acima das 500 antes do Natal – que podem aumentar ainda mais durante as próximas duas semanas.

O impacto também está sendo sentido em todos os serviços de emergência, com centenas de bombeiros mais uma vez ajudando o Serviço de Ambulâncias de Londres, voluntariando-se para dirigir ambulâncias, já que os serviços de ambulâncias enfrentam um dos tempos mais movimentados de sua história. Desde que se voluntariaram para ajudar em abril do ano passado, os bombeiros já responderam a 100.000 incidentes enquanto dirigiam ambulâncias.

O Serviço de Ambulâncias de Londres está agora levando até 8.000 chamadas de emergência por dia, em comparação com 5.500 em um dia normalmente ocupado.

O prefeito escreveu ao primeiro-ministro com pedidos dos líderes da prefeitura e dos conselhos de Londres para um maior apoio financeiro aos londrinos que precisam se auto isolar e não são capazes de trabalhar, dados diários de vacinação, o fechamento de locais de culto e para que máscaras faciais sejam usadas rotineiramente fora de casa, inclusive nas filas de supermercado e em outros lugares fora que possam estar lotados.

Sadiq Khan disse: “A situação em Londres é agora crítica, com a propagação do vírus fora de controle. O número de casos em Londres aumentou rapidamente com mais de um terço de pacientes sendo tratados em nossos hospitais agora, em comparação com o pico da pandemia em abril passado”.

Georgia Gould, presidente dos Conselhos de Londres, disse: “Os casos estão aumentando a um ritmo perigoso em Londres, colocando uma pressão extrema sobre o NHS. Um em cada 30 londrinos agora tem Covid. É por isso que os serviços públicos em toda Londres estão exortando todos os londrinos a ficarem em casa, exceto para compras e exercícios absolutamente essenciais”.

Fonte: London.gov.uk

Também pode interessar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *