Vacina da Oxford/AstraZeneca é aprovada no Reino Unido

Imagem: Pixabay

A vacina para Covid-19 desenvolvida pela Universidade de Oxford/AstraZeneca recebeu hoje a aprovação da agência reguladora de medicamentos e produtos de saúde do Reino Unido (MHRA), após atender aos padrões exigidos de segurança, qualidade e eficácia.

Após uma revisão científica rigorosa e detalhada pelos cientistas e clínicos especialistas da MHRA e com base no parecer de seu órgão consultivo científico e independente, a Comissão de Medicamentos Humanos, o órgão regulador britânico aprovou a vacina AstraZeneca para uso em todo o Reino Unido.

O chefe-executivo da MHRA, Dr. June Raine, disse: “Temos o prazer de anunciar a boa notícia de que a vacina Oxford University/AstraZeneca para Covid-19 está agora aprovada para fornecimento após uma avaliação robusta e completa de todos os dados disponíveis.”

“Nenhuma pedra é deixada por virar quando se trata de nossas avaliações. Esta aprovação significa que mais pessoas podem ser protegidas contra este vírus e ajudará a salvar vidas. Este é outro marco significativo na luta contra este vírus.”

Entenda a vacina

A vacina da Universidade de Oxford/AstraZeneca foi aprovada para uso em pessoas com 18 anos ou mais e consiste em duas doses, sendo a segunda dose administrada 4-12 semanas após a primeira dose. Os requisitos de transporte e armazenamento desta vacina significam que ela precisa ser mantida a temperaturas de 2C a 8C, que é semelhante a uma geladeira convencional, por até seis meses e pode ser administrada dentro dos ambientes de saúde existentes.

A Universidade de Oxford/AstraZeneca tem submetido dados ao MHRA desde setembro de 2020 sob o processo de revisão em andamento, permitindo que os dados sejam revisados em etapas, à medida que se tornaram disponíveis.

O National Institute for Biological Standards and Control, parte do MHRA, tem feito testes laboratoriais independentes para garantir que cada lote da vacina atenda aos padrões esperados de segurança e qualidade.

O CHM também analisou mais dados para a vacina Pfizer/BioNTech à medida que ela se tornou disponível e recomendou as seguintes mudanças:

Gravidez e mulheres que estão amamentando – a vacina só deve ser considerada para uso na gravidez quando os benefícios potenciais superarem quaisquer riscos potenciais para a mãe e o bebê. As mulheres devem discutir os benefícios e riscos de ter a vacina com seu profissional de saúde e chegar a uma decisão conjunta baseada em circunstâncias individuais. As mulheres que estão amamentando também podem receber a vacina. Este conselho é o mesmo para a vacina da Universidade de Oxford/AstraZeneca.

Alergias – qualquer pessoa com um histórico anterior de reações alérgicas aos ingredientes da vacina não deve recebê-la, mas aqueles com qualquer outra alergia, como uma alergia alimentar, podem agora ter a vacina.

Intervalo de dosagem – o conselho foi atualizado para dizer que a segunda dose da vacina Pfizer/BioNTech deve ser administrada pelo menos 21 dias após a primeira dose.

Fonte: Gov.uk

Também pode interessar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *