Ele é singular, incomparável

Por Pastor Natanael Gonçalves*

O personagem mais importante que já viveu entre nós desde a fundação do mundo, foi Jesus. Ele dividiu a história em antes e depois de Cristo e sua vida está descrita nos quatro evangelhos das Escrituras. De longe, ele é a pessoa mais influente que já viveu e os evangelhos explicam que Ele é confiável e porque deve ser adorado. Antes de continuar, quero compartilhar com você um texto do médico Lucas, escritor do livro bíblico que leva o seu nome. Vejamos Lucas 1:1-4: “Visto que muitos houve que empreenderam uma narração coordenada dos fatos que entre nós se realizaram, conforme nos transmitiram os que desde o princípio foram deles testemunhas oculares e ministros da palavra, igualmente a mim me pareceu bem, depois de acurada investigação de tudo desde sua origem, dar-te por escrito, excelentíssimo Teófilo, uma exposição em ordem, para que tenhas plena certeza das verdades em que foste instruído”.

O propósito de Lucas

Os Evangelhos evidenciam uma narrativa histórica verdadeira e não abrangem mitos, ficção ou fábulas. Por exemplo, Lucas deixa claro que está escrevendo um relato histórico sobre pessoas reais, lugares reais e eventos reais. Ele fornece detalhes geográficos sobre lugares que você ainda pode visitar hoje, tais como Belém, Nazaré e Jerusalém. Lucas escreveu a uma pessoa de nome Teófilo que, evidentemente, era um novo convertido ao cristianismo e podia estar com algumas dúvidas. O médico desejava que ele soubesse que havia uma base sólida na trilha da vida cristã, a qual ele abraçara. Desejava também que ele tivesse plena certeza da realidade histórica de Jesus. Para Lucas, a fé cristã não é o resultado de aceitar algo que destila esperança para o melhor enquanto se comete um suicídio intelectual. Não! Para ele, trata-se de uma fé vigorosa que repousa sobre a base sólida de fatos que são absolutamente confiáveis. O cristianismo na mente e no coração de Lucas proporciona a esperança, instila confiança e inspira fé. Não apenas naqueles tempos, mas ao atravessar os séculos, a mesma realidade chegou até nós. Quando você lê os Evangelhos, você lê sobre a Pessoa mais atraente que já existiu e, com certeza, jamais haverá. A proposta dos Evangelhos não é apenas informar, mas proporcionar um encontro pessoal com Cristo.

O Messias chegou

Lucas 2.10-11, nos diz: “O anjo, porém, lhes disse: Não temais; eis aqui vos trago boa-nova de grande alegria, que o será para todo o povo: é que hoje vos nasceu, na cidade de Davi, o Salvador, que é Cristo, o Senhor”.  Sem dúvida, as maiores invenções e avanços tecnológicos ocorreram desde o final do século XIX até os dias atuais. Provavelmente nenhuma invenção tenha tido maior impacto que o rádio, haja vista que ele foi o primeiro dispositivo que permitiu a comunicação em massa. As pessoas que moravam a milhares de quilômetros de distância, poderiam ouvir as palavras de alguém falando ao microfone. Palavras que foram ao ar, agora poderiam ser transmitidas pelo ar. Apesar do advento da televisão, da Internet e do computador, o rádio continua a se destacar. No século XXI o rádio atingiu os seus maiores patamares, principalmente porque agora se expande para os mercados da Internet e dos satélites. Para se ter uma ideia, o seu celular usa a tecnologia do rádio. Grandes acontecimentos foram anunciados pelo rádio, tais como: guerras, comunicados de presidentes, copas do mundo e tantos outros. Se houvesse rádio há dois mil anos atrás, poderia ter existido um programa intitulado “O Messias chegou”. Dos personagens principais da história de Natal, os anjos são fundamentais para todo o drama. Note: o anjo Gabriel anunciou pela primeira vez o nascimento de Jesus a Maria, um anjo anunciou o nascimento de Jesus a José, e aos pastores. O nascimento de Jesus foi digno de um extraordinário anúncio de nascimento. Anjos anunciaram o Natal no ar e se você pudesse ligar o rádio naquela época, iria ouvir sobre os anjos e os papéis que eles representaram. José estava dormindo e, em sonho, o anjo lhe disse a respeito de Maria: “Ela dará à luz um filho e lhe porás o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo dos pecados deles” (Mateus.1.21).

Conclusão

Imagine que durante séculos a nação judaica aguardava o Messias, alguém que os salvaria dos Egípcios, depois dos Babilônios e por fim dos Romanos. As palavras do anjo a José, foram claras ao afirmar que Jesus salvaria seu povo não de um soberano, mas de seus pecados. Nós, desde a tenra idade, ouvimos dizer que Jesus era esse tipo de Salvador, mas há dois mil anos atrás, esse não era o tipo de Salvador que o povo judeu esperava. A causa específica e única de todo problema que o ser humano enfrenta neste planeta é o pecado. Então, o anjo de Deus acabara de anunciar a José que Deus havia enviado a única solução para esse problema – O Salvador. Reflita, e que Deus abençoe o seu coração.

* Pr. Natanael Gonçalves é pastor da IBN – Igreja Batista das Nações (Bournemouth);

www.ibn.org.uk e-mail: ibnonline.org.uk@gmail.com.

Também pode interessar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *