Lojas poderão abrir 24 horas por dia, antes do Natal

Imagem: Heidi Fin/Unsplash

Segundo planos do governo britânico, as lojas de produtos não essenciais poderão funcionar 24 horas por dia antes do Natal. Seria mais uma tentativa das autoridades para resgatar o setor varejista do colapso para o qual ele caminha, após meses de confinamento na primeira onda do Covid-19 e no segundo período decretado pelo primeiro-ministro Boris Johnson em novembro.

Com esta facilidade, espera-se que os incentivos ao varejo sejam impulsionados nas principais ruas comerciais da Inglaterra. Os governos locais serão responsáveis pela coordenação do horário de funcionamento com os varejistas na tentativa de garantir as compras de Natal que não puderam ser feitas durante o segundo confinamento.

A informação foi divulgada pelo ministro das Comunidades, Robert Jenrick, que disse querer garantir uma “experiência de compras mais agradável e segura para todos”. As regras atuais estabelecem que qualquer varejista que deseje prolongar seu horário de trabalho para além de 9h às 19h, de segunda a sábado, deve solicitar uma autorização que pode levar semanas para ser aprovada. Entretanto, com esta mudança temporária, estas licenças podem ser geradas imediatamente e as lojas poderiam decidir sobre os horários de abertura e fechamento e, assim, ter a opção de estender seus horários.

O anúncio garante uma redução nas restrições para os meses de dezembro e janeiro. Como parte de seu apoio ao setor, o governo britânico também está garantindo que as lojas, assim como os estabelecimentos de fitness e de cuidados pessoais, possam operar em toda a Inglaterra, independentemente dos níveis de risco e restrições que se apliquem após 2 de dezembro.

Na publicação do ministro, no The Telegraph, Jenrick aponta que as mudanças poderiam ajudar lojas a abrir por um período mais longo e também garantir que os clientes possam comprar suas mercadorias em um ambiente mais agradável e seguro, com menos pressão sobre o transporte público.

Soube-se que a rede de lojas Primark será a primeira a aproveitar a medida e informou que 11 de suas lojas estarão abertas 24 horas por dia, uma vez que o confinamento esteja completo. As restrições tiveram um impacto severo neste setor, bem como na indústria hoteleira, porque as medidas implementadas fizeram com que fechassem suas portas durante meses.

De acordo com dados de agências independentes, entre janeiro e agosto cerca de 11 mil lojas tiveram que fechar permanentemente. Em agosto, a cadeia Marks and Spencer anunciou a redução de 7 mil empregos nos últimos três meses. Enquanto isso, o gigante do varejo Arcadia adverte que está à beira da falência, pondo em risco cerca de 15.000 empregos.

Também pode interessar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *