Como funcionará o plano do governo de testes de coronavírus em massa

Por Arelys Gonçalves

Imagem: Pixabay

Entre as estratégias para lidar com o coronavírus durante o inverno, o governo britânico espera implementar testes em massa entre os contatos próximos de pessoas que testaram positivo para Covid-19. Esta proposta procura reduzir o isolamento de 14 dias atualmente exigido às pessoas que estiveram em contato com aqueles que tiveram resultados positivos nos testes.

Um programa piloto foi lançado na segunda-feira (23/11) na cidade de Liverpool, onde a campanha de testes também está sendo realizada para toda a população, incluindo aqueles que não têm sintomas.

De acordo com esta nova proposta, às pessoas que estivessem próximas daqueles que têm o vírus serão oferecidos testes e, dependendo dos resultados, elas podem ou não ser capazes de continuar com sua rotina diária, como ir trabalhar ou estudar. Uma medida semelhante será estabelecida nos lares de idosos para permitir que os residentes recebam visitas de familiares durante esta época festiva.

Como funcionaria?

Como explicou o ministro da Saúde Matt Hancock, se o programa piloto der resultados favoráveis, as pessoas que foram contatadas pelo NHS Test and Trace não teriam que manter a quarentena de 14 dias e seriam submetidas a testes diários de “fluxo lateral” durante uma semana. Esses testes oferecem resultados em 30 minutos. Se a resposta for negativa, a pessoa pode continuar com suas atividades, mas será obrigada a fazer o teste todos os dias.

Até agora, uma das preocupações do setor de saúde é que apenas cerca de 50% dos contatos estão respeitando a quarentena, ou seja, os resultados esperados não foram alcançados com este método.

Um esquema piloto já está em andamento em 20 lares de idosos em Hampshire, Devon e Cornwall. A ideia é que os residentes possam escolher duas pessoas para visitas duas vezes por semana. Essas pessoas terão que fazer os testes. Cada residente que puder receber visitantes nestas instalações terá permissão para fazê-lo e até mesmo contato físico será permitido, após testes com resultado negativo.

Espera-se que o programa de testes em larga escala seja implementado para trabalhadores de vários setores, especialmente os do NHS, casas de repouso, bem como os que trabalham na produção de alimentos, em prisões e os encarregados do processo de vacinação que poderia começar em algumas semanas.

Liverpool tem sido o foco de estudos sobre a eficácia dos ensaios. Até o momento, foram detectados quase 700 casos assintomáticos e estima-se, segundo o ministro Hancock, que desde o início do processo, no início de novembro, os casos diminuíram em mais de dois terços.

Para o primeiro-ministro Boris Johnson, a expansão dos testes, a administração de vacinas, assim como as restrições de acordo com os níveis de risco ajudarão a controlar o vírus no país.

Também pode interessar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *