Seminário debateu pesquisa sobre perfil do brasileiro em UK

Imagem: Rafaela Biazi/Unsplash

Primeiro foi um questionário aberto a todos da comunidade brasileira, elaborado pela professora Yara Evans, do Imperial College. 2218 responderam ao chamado online e o resultado trouxe um perfil do brasileiro residente do Reino Unido baseado na maior amostragem já conseguida por estudo do tipo.

Para apresentar e destrinchar os dados desse estudo, o consulado do Brasil em Londres, em parceria com o Brazil Institute do King ́s College London, realizou um seminário virtual no dia 29 de outubro. O evento teve o apoio do Conselho de Cidadania do Reino Unido, Casa do Brasil, Câmara Brasileira de Comércio na Grã-Bretanha e do Grupo Mulheres do Brasil em Londres.

“Trabalhei sobre a maior amostragem de que se tem registro em estudos sobre a comunidade”, disse a professora Yara Evans que, em sua apresentação durante o seminário comparou os achados atuais com os resultados obtidos em 2015 e o censo britânico de 2011.

A pesquisadora destacou uma mudança observada na distribuição geográfica dos brasileiros, com tendência de desconcentração da grande Londres para cidades como Manchester, Liverpool, Birmingham, Brighton e Bristol. “A estimativa do consulado de que a comunidade hoje reúne aproximadamente 220 mil brasileiros”, observou.

A participação feminina foi maior do que a masculina, o que confirma um padrão registrado em 2015 e no censo de 2011. A maioria das pessoas que responderam à pesquisa tem escolaridade de nível superior, mas exerce atividade econômica que requer qualificação inferior à sua formação, em setores como limpeza e transporte. Uma parcela considerável (21%) declarou enfrentar dificuldades, no cotidiano, por não dominar a língua inglesa, e mais de um quarto dos entrevistados com dupla nacionalidade (a segunda de país europeu) disse não ter ainda solicitado visto para permanência no Reino Unido no pós-Brexit..    

A abertura do seminário foi feita pelo cônsul-geral Tarcísio Costa, que também mediou o encontro transmitido pelo YouTube, ao lado do diretor do Brazil Institute do King’s College London, Vinicius Mariano de Carvalho.

O primeiro painel teve como tema “Conquistas e Desafios da Comunidade Brasileira no Reino Unido”, com Vitoria Nabas, da Casa do Brasil; e o professor Gustavo Dias, da Universidade Estadual de Montes Claros.

Dias ressaltou o caráter heterogêneo da comunidade brasileira no Reino Unido, tanto no que diz respeito à classe social quanto ao status migratório. Ele destacou o fenômeno da migração transnacional, sustentando que grande parte dos brasileiros aqui residentes transitam entre o Brasil e o Reino Unido e integram redes sociais nos dois países. Coube ao professor também falar sobre a saída do Brasil do Pacto Global de Migração da ONU, em janeiro de 2019. E como esta e outras posturas negacionistas do governo brasileiro influenciam no processo migratório.

Presença histórica

No painel “A presença brasileira no Reino Unido: breve histórico”, o professor Angelo Martins Junior, da Bristol University, falou sobre o fluxo migratório da década de 1960 (com a presença de exilados políticos) e deteve-se na primeira onda de migração observada a partir do final da década de 1980, composta majoritariamente por jovens, sem ânimo de fixar residência e que não enfrentaram dificuldade para ingressar no país.

Martins Junior ressaltou o aumento do fluxo ao longo dos anos 1990, com a valorização do real, a diminuição dos preços das passagens aéreas e outros fatores, e comentou o fluxo associado à crise de 2008, com a vinda numerosa de brasileiros e vista com desconfiança pelas autoridades locais.

O terceiro painel teve como tema “Construindo a coletividade – presença empresarial, promoção dos direitos da mulher e associativismo”, com Vera lnnes, da Câmara de Comércio Brasileira na Grã-Bretanha; Camila Kern, do Grupo Mulheres do Brasil – Núcleo Londres; e Gilson Guimarães, do Conselho de Cidadania.

O painel “Cultura, língua e educação: a transmissão da herança cultural brasileira e as perspectivas da comunidade científica brasileira no Reino Unido” teve as participações da professora Ana Maria Carneiro, da Universidade de Campinas; a jornalista Marta Barbosa Stephens, editora do “Noticias em Português”; e da professora Ana Souza, da Oxford Brookes University.

No encerramento do seminário, coube a embaixadora Luiza Lopes, Diretora do Departamento Consular do Ministério das Relações Exteriores, que apresentou breve histórico da emigração brasileira. Ela ressaltou, como desafios importantes, as dificuldades enfrentadas em determinados países com o aprendizado do idioma, o choque cultural, as dificuldades para regularização migratória e a discriminação, assim como o desemprego e a violência urbana.

A pesquisa completa está disponível no site do consulado do Brasil (http://cglondres.itamaraty.gov.br).

Também pode interessar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *