Vencedora do Top Chef Brasil, Luciana Berry planeja lançar marca de alimentos

Para a comunidade de brasileiros em Londres, o nome de Luciana Berry já é citado em conversas sobre gastronomia há muito tempo. Agora a fama da cozinheira ganhou a além o mar, já que a baiana londrina ganhou o Top Chef Brasil 2020. Além do prêmio de 300 mil reais, Luciana tem sido procurada por marcas brasileiras que querem associar-se a imagem que ela construiu de “embaixadora da gastronomia brasileira”.

“Eu aceito de bom grado esse título porque isso mesmo que eu sou”, conta a chef, de volta à sua cozinha em Londres de onde comanda um serviço de catering. “Eu li comentários de gente dizendo que eu não poderia ganhar porque usei ingredientes como chuchu e picolé de amendoim”, diz. “Mas esse é justamente o meu objetivo: transformar ingredientes baratos e nossos em alta gastronomia.”

Luciana já havia sido finalista do Top Chef UK, em 2014. Na competição brasileira, o ponto alto (e talvez o mais emocionante) foi quando a crítica de gastronomia Ailin Aleixo, uma das juradas do programa, foi às lagrimas emocionada com o sabor do prato de Luciana.

“O tema da competição era mandioca. Eu estava muito confiante de que eu não seria eliminada naquele dia porque mandioca é o principal tema das minhas aulas. É um ingrediente que conheço muito bem”, recorda.

Mas teve um acaso: por uma das voltas do jogo, Luciana perdeu 15 minutos da prova. Enquanto todos os competidores tiveram 1h15, ela teve uma hora para preparar um prato de alta gastronomia com mandioca.

“A prova começou, todos correram para o mercado e eu não podia me mexer. Quando, enfim, pude ir em busca dos ingredientes, só tinha a mandioca mais dura e ainda com casca”, relembra Luciana.

Tudo acabou bem com lagosta, mandioca e tucupis preto e amarelo. “Foi um prato de muita técnica porque era preciso equilibrar a acidez do tucupi com o adocicado natural da carne da lagosta”, explica. “O resultado foi um sabor oriental feito apenas com ingredientes brasileiros.”

E sobre os dias de confinamento, quando teve que conviver com 14 outros profissionais que não conhecia anteriormente em uma casa de dois quartos por um mês, Luciana diz que foi como se estivesse em uma colônia de férias. “Foi ótimo, me diverti e fiz amigos.”

De volta a Londres, onde mora há mais de duas décadas, Luciana segue com seu serviço de catering e já trabalha com um projeto mais abrangente. Ela vai lançar uma marca de alimentos, com alguns produtos que já se tornaram sua marca, como o pão de queijo trufado. “Quero vender no Reino Unido e outros países da Europa”, diz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *