15 °C
Reino Unido

Vida pós-Brexit: plano B para cenário incerto

|

FOTO2ANARIBEIRO

A portuguesa Ana Ribeiro quer voltar ao Porto, para onde "sol brilha e ninguém tem muita pressa" 

FOTO1CamilaGarcia

Brasileira Camila Garcia não pensa em deixar Londres definitivamente,

mas busca visto permanente (Facebook) 


FOTO3CASAL

Casal colombiano prevê futuro de "trevas" no Reino Unido (Foto Reprodução Facebook)





Vida pós-Brexit: plano B para cenário incerto



Brasileiros e europeus pensam em deixar Londres e lutam por vistos


Por Stefania Tolomeotti


Ainda que o governo britânico e a União Europeia não tenham chegado a nenhum acordo definitivo sobre as novas regras após o referendo, o cenário continua sendo incerto para os estrangeiros que residem em território britânico. Quem ainda não abandonou a região, já começa a colocar em prática um plano B. É o caso da designer portuguesa Ana Ribeiro, que vinha postergando o sonho de voltar ao seu país natal e montar um negócio próprio nos arredores de Porto. Após o Brexit, o projeto começou a tomar um rumo mais definido.


Designer portuguesa pensa em retornar ao Porto


“Está tudo tão incerto, que todos aqueles possíveis planos fora do Reino Unido tornaram-se opções mais atraentes e viáveis agora. Sem a mescla de imigrantes e diferentes culturas, Londres deixa de ser uma cidade interessante para mim. Além disso, vejo bancos e empresas financeiras moverem suas operações para outros países do bloco, o que poderá diminuir a oferta de trabalho e aumentar o custo de vida. As pessoas não vão mais se sentir bem-vindas aqui. Sendo assim, prefiro ir para onde o sol brilha e ninguém tem muita pressa”, confessa Ana.


“Saída é obtenção de visto”


Para a engenheira ambiental brasileira Camilla Garcia, que mora em Londres desde 2011, a saída é a obtenção do visto de residência britânico. Ela pretende passar uma temporada na Austrália no ano que vem, mas quer garantir que não terá problemas para continuar em terras britânicas quando voltar. “Tenho o direito de aplicar para a minha residência porque vivo no Reino Unido há mais de cinco anos, mas, sem dúvida, o referendo acelerou a minha decisão”, explica Camilla, que pretende obter o visto antes de iniciar o ano sabático fora do país.


Casal de colombianos prevê futuro sombrio


O referendo começou a gerar preocupação para a vendedora Laura Gomez sobre o futuro em Londres com o marido Andrés Mejia. O casal de colombianos veio para o Reino Unido há quatro anos com a ideia de estudar e trabalhar, e embora não tivessem planos a longo prazo, o passaporte espanhol adquirido por Laura oferecia a tranquilidade necessária para decidir com calma qual seriam os próximos passos.


“Antes do Brexit eu não precisava me preocupar com residência ou visto para trabalhar e morar aqui. A partir de agora, talvez tenha que solicitar uma residência permanente para que meu marido possa continuar tendo os mesmos direitos que tem hoje, já que mesmo sendo casado com um membro da UE, ele não tem passaporte europeu e precisa renovar sua residência em fevereiro. Estamos aflitos porque com esse novo cenário não sabemos se ele terá o visto renovado. De qualquer forma, já não queremos mais ficar aqui por muito tempo. A ideia é ficar mais um ou dois anos em Londres, economizar dinheiro e recomeçar nossa vida na Espanha, Alemanha ou Holanda. Sinto que o Reino Unido irá entrar muito em breve em uma era de trevas e eu não quero estar aqui quando isso acontecer”, completa Laura.