7 °C
Reino Unido

Reino Unido e União Europeia iniciam negociação histórica sobre Brexit

|


X68465870 TheEuropeanUnion27schiefnegotiatorMichelBarnierRshakeshandswithBritishSecretary.jpg.pagespeed.ic


Ministro britânico para o Brexit, David Davis, e negociador da União Europeia, Michel Barnier (John Thys / AFP)


(LONDRES) Da redação


Após muita discussão, Reino Unido e União Europeia (UE) iniciaram na segunda-feira (19), em Bruxelas, as aguardadas negociações para a saída dos britânicos do bloco em março de 2019, num cenário de incerteza sobre o governo britânico e marcado por uma série de atentados.


A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, antecipou as eleições gerais britânicas como forma de aumentar o poder do Partido Conservador para encarar as negociações do Brexit. No entanto os trabalhadores acabaram conquistando mais cadeiras do que o esperado, diminuindo a vantagem dos rivais no Parlamento. Além disso, o Reino Unido vem sofrendo uma série de atentados nos últimos meses, que abalou a confiança e o ânimo dos cidadãos. Há pouco mais de um ano, os eleitores britânicos decidiram em plebiscito que o Reino Unido deveria deixar a União Europeia.


"Hoje iniciamos as negociações para a saída ordenada do Reino Unido da União Europeia", afirmou o negociador europeu Michel Barnier, que recebeu com um aperto de mãos, na sede da Comissão Europeia, o negociador britânico para o Brexit, David Davis. Os dois expressaram o desejo de realizar conversações "construtivas", mas as primeiras palavras de ambos deram a entender que as prioridades são diferentes. Pelo lado da UE, os valores que o Reino Unido deverá pagar para deixar o bloco e os direitos dos cidadãos europeus no país. Pelo lado britânico, o futuro marco legal das relações.


O negociador europeu afirmou que o objetivo dos 27 países do bloco era acabar com as "incertezas geradas pelo Brexit" para os cidadãos e beneficiários das políticas da UE.

Já o ministro britânico disse que o Reino Unido conduziria as negociações em tom construtivo e ressaltou a amizade com o bloco europeu, mas garantiu que o objetivo é favorecer a população britânica: "Faremos tudo o que pudermos para garantir que entregaremos um acordo que funcione melhor segundo interesses de nossos cidadãos".

Davis afirmou que o Reino Unido está "iniciando a negociação em tom construtivo e positivo, determinado a construir uma parceria forte e especial através de nós mesmos e nossos aliados europeus e amigos para o futuro".


5 fatos sobre o Brexit

O valor da libra esterlina caiu muito desde a aprovação da saída britânica da União Europeia em 2016. Estão previstos ainda aumento na inflação e queda no PIB. Isso poderia levar à saída de gigantes financeiras como JPMorgan e HSBC, que pretendem transferir milhares de postos de trabalho para Paris e Frankfurt.

O Brexit estimulou movimentos a favor da saída da zona do euro e da própria União Europeia em países como França, Itália e Holanda.

O governo da Escócia anunciou que a saída britânica da União Europeia levará a um novo referendo para decidir a permanência no Reino Unido. A Escócia é favorável à imigração e economia mais abertas e votou contra o Brexit.

Emenda proposta pela Câmara dos Lordes, que previa que cidadãos europeus no Reino Unido mantivessem seu status após o Brexit, foi rejeitada. A oposição ao governo de Theresa May promete transformar o tema no principal campo de batalha durante as negociações.


A imigração foi tema central da campanha pró-Brexit e deve cair significativamente, segundo promessa dos conservadores. Solicitações de visto de residência ou trabalho serão avaliadas pelas qualificações do solicitante. Com a saída da UE, chega ao fim a livre circulação de pessoas, mas direitos de cidadãos europeus no país ainda estão em jogo, assim como direitos dos britânicos, que vivem em outros países da Europa.