8 °C
Portugal

Pesquisa revela que portugueses são os que menos faltam ao trabalho por questão de saúde

|

Dornascostas


A informação é de que a dor tem custado mais de 4.600 milhões de euros por ano em Portugal


(LONDRES) Da redação


Apesar de muitas vezes estarem fora das condições ideais de trabalho, portugueses estão entre os trabalhadores europeus que menos faltam quando sofrem de dores. A pesquisa aponta que Portugal é um dos países que menos apresenta índices altos de entrega de atestados médicos.


Neste cenário é importante destacar que um outro ranking coloca Portugal em quarto lugar na lista dos países que exibem índice de dor mais elevado, seguindo Roménia, Rússia e Espanha. Resultado extraído do estudo mundial sobre o impacto da dor (Global Pain Index), realizado em 32 países.


Nos últimos 12 meses, só 20% dos portugueses dizem ter faltado ao trabalho por causa de dores no corpo e 9% devido a dores de cabeça. “É mais um estudo mostrando que a dor é um problema de saúde pública”, comenta a presidente da Associação Portuguesa para o Estudo da Dor (Aped), Ana Pedro, que aponta o impacto desse problema com consequências, não só em nível pessoal, familiar e social, mas também afetando os negócios. A dor tem custado mais de 4.600 milhões de euros por ano em Portugal


Mais 57% dos participantes desse estudo, dentre 500 pessoas com mais de 18 anos que responderam ao questionário on-line em Portugal apontou que é justamente o ambiente de trabalho a causa de dores corporais e de cabeça. Cerca da metade afirmou que mesmo com dores, segue firme em seu posto de trabalho, podendo se dizer que os sintomas são regulares.

Uma a cada quatro pessoas, com mais 55 anos, que sofre de dores corporais tem ignorado o problema e espera que ela passe. “Os portugueses são muito resilientes e se resignam, não querem incomodar; é uma questão cultural. Por outro lado, o absentismo no trabalho tem consequências no rendimento mensal e na progressão na carreira”, comenta a presidente da Aped.


Na avaliação feita com 15 países europeus para esse estudo, Portugal figura entre aqueles em que a porcentagem de pessoas que diz sentir dores corporais todas as semanas é mais elevada (61%), enquanto as dores de cabeça afetam semanalmente 16% dos inquiridos. Nesse indicador, o país está alinhado com a tendência global.