7 °C
Londres

Londres contra o terror: polícia prende suspeitos enquanto população presta homenagens

|

Londresidentificaosterroristas

(LONDRES) Por Cristiane Lebelem


Os dias têm sido de alerta máximo nas ruas da capital inglesa. Não é raro encontrar escolta armada nas estações de metrô e nos pontos turísticos da cidade. Até nos bairros mais afastados do centro, a população repara na existência de helicópteros sobrevoando a cidade. O policiamento foi reforçado ao extremo.

Na noite da terça-feira, o prefeito de Londres Sadid Khan e centenas de pessoas estiveram presentes na homenagem às vítimas do atentado no Potters Fields Park.Khan estava emocionado e disse que é importante a dedicação ao combate ao terrorismo.


O grupo terrorista Estado Islâmico assumiu a autoria do ataque. Mas na manhã de domingo (4) especialistas em terrorismo analisavam que os indícios levavam a crer que se trata de pessoas inspiradas no Estado Islâmico.

A polícia prendeu 3 pessoas com fortes indícios de envolvimento. Youssef Zaghba, italiano de origem marroquina (22 anos), foi preso em Ilford, na madrugada de quarta-feira (7); Khuram Butt (27), nasceu no Reino Unido; Rachid Redouane (30) tem origem marroquina- libanesa.


Investigações seguem e até o fechamento desta edição o balanço da polícia ainda previa a prisão de um homem de 30 anos, que também estaria envolvido, de acordo com informações da polícia local.

Ataques ocorreram na noite de sábado (3), por volta das 22 horas, um no mercado público de Borough e outro na Ponte de Londres e ainda um terceiro na ponte de Vauxhall, deixando 6 mortos e 48 hospitalizados em estado grave.

De acordo com testemunhas, dois homens invadiram o mercado e com facas começaram a atacar as pessoas, deixando 3 mortos. Não distante de Borough, praticamente na mesma hora, uma van branca atropelou pessoas, que atravessavam a ponte, fazendo outras vítimas.


A polícia respondeu com tiros nos dois ataques, e um homem usando um colete com bombas foi morto em London Bridge.

Em Vauxhall, outro esfaqueamento, que no princípio teria sido vinculado aos outros dois ataques, porém, mais tarde a polícia confirmou que se tratava de um fato criminal e não terrorista.

A polícia pede a quem tenha informações entre em contato. Investigações continuam para identificar criminosos. Esse foi o terceiro ataque tido como terrorista nos últimos 3 meses, no Reino Unido, relembrando Machester dias atrás e o ataque ao Parlamento Britânico em março.

A primeira-ministra Theresa May determinou a suspensão da campanha eleitoral.As autoridades britâncias entendem que pode tratar-se de um atentado à democracia.