18 °C
Comunidade

Evento em Londres reúne Moro, acadêmicos, políticos e empresários

|

MoroeCardosonoForumBrazilUK


Fonte: Twitter


(LONDRES) Da Redação 




Fórum que contou com a presença de acadêmicos e brasileiros conhecidos, como juiz Sérgio Moro, responsável pela maior parte das investigações da Lava Jato; o provável candidato a presidente em 2018 Ciro Gomes; Fernando Haddad, ex-prefeito de São Paulo; José Eduardo Cardozo, ex-ministro da Justiça; Luís Roberto Barroso, ministro do Supremo Tribunal Federal; Guilherme Leal, fundador da Natura, e outros, foi realizado durante nos dias 13 e 14 de maio em Londres, na London School of Economics e University of Oxford.



Criado por um grupo de pesquisadores brasileiros, o objetivo foi refletir sobre a realidade brasileira, ajudando na busca de soluções para problemas enfrentados no país. Cada palestrante falou sobre tema específico, em áreas como desenvolvimento sustentável, direito, economia, relações internacionais, educação e política.


O fórum serviu para troca de ideias e diálogo entre convidados e plateia. Não faltaram questionamentos sobre o atual momento vivido no Brasil e declarações que repercutiram no cenário político nacional.


O ex-governador da Bahia e ex-ministro Jaques Wagner (PT) afirmou que existe um desejo de "transformar a política em torcida organizada de futebol". O ex-ministro e ex-governador do Ceará Ciro Gomes (PDT) afirmou que o "Brasil está sob Golpe de Estado".



Sérgio Moro falou sobre o papel do judiciário: "O juiz tem de julgar de acordo com a prova, não segundo a opinião pública. Se for julgar pensando na consequência política, não faz seu papel. Como esse caso (Lava Jato) envolve pessoas poderosas, crimes de elevada dimensão, se faz confusão no sentido de que julgamentos são políticos, quando não são".



Evento é espaço para diversidade e discordância, diz professor


O cientista Maurício Santoro, professor da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj), participou de mesa que discutiu a inserção internacional do Brasil. "Fiz análise de como a democratização mudou a maneira de o país se relacionar com outras nações, e como a Lava Jato introduz novos temas na agenda, como combate à corrupção e a busca de um governo aberto e transparente", afirmou para o Notícias em Português.


Para o professor de relações internacionais, o fórum é importante para dar oportunidade à diversidade e discordância de ideias num espaço de respeito. "Fazia tempo que não via algo assim, o que talvez seja impossível no Brasil atual".