0 °C
Londres

António Guterres pela primeira vez em Londres como secretário-geral da ONU

|


Antonioguterresunauk

Foto: UNA_UK/ Evento intitulado de conversa com António Guterres reuniu mais de 1.500 pessoas na capital inglesa

Foto UNA-UK


(LONDRES) Por Cristiane Lebelem - O português António Guterres, atual secretário-geral das Nações Unidas, esteve na capital inglesa em 10 de maio (quarta-feira) para evento da UNA-UK. Em seu primeiro discurso público importante em território britânico como secretário-geral, obviamente não faltou o tema Brexit. Porém como diplomata que sabe que ainda há muita negociação para acontecer, ele acabou esquivando-se de dar sua posição, dizendo que é preciso ter cuidado para não misturar as coisas. “É preciso respeitar a opinião das pessoas”, mas admitiu que o nacionalismo é uma forma agressiva de tratar os conflitos.



O evento intitulado de conversa com António Guterres reuniu mais de 1.500 pessoas, no Central Hall Westminster, na região do Parlamento britânico.


Com um discurso bastante otimista, mas não menos cuidadoso, ele respondeu às perguntas da plateia, moderadas pela diretora-executiva da United Nations Association UK, Natalie Samarasinghe, que seguindo o protocolo tentou frear algumas das intervenções do público, que pedia atenção do líder das Nações Unidas para muitos conflitos atuais em diferentes partes do planeta.


Guterres afirmou que a desigualdade também caminha pelas vias da falta de progresso em muitas regiões. De acordo com o diplomata, os esforços das Nações Unidas devem se concentrar em vincular sustentabilidade com direitos humanos, e afirmou que seu objetivo é estabelecer fortes relações com os mais diversos setores por um investimento na sociedade. “A globalização e o progresso tecnológico aumentam as desigualdades, muitos sentem-se deixados para trás”, justificou.

Com forte elogio à multiculturalidade, que se vive no Reino Unido, Guterres reforçou a importância da diversidade e também a necessidade de imprimir a multilateralidade das organizações para as pessoas e concluiu “não há paz sem desenvolvimento”.


Paz, segurança, migração, direitos humanos, meio ambiente e o papel da ONU em tempos de muitos conflitos também foram temas das questões levadas pela plateia. António Guterres, que vem de uma longa trajetória nos organismos diplomáticos, representando Portugal por décadas, disse que os conflitos têm impactos em muitas áreas, e naturalmente, transferem-se a setores que influenciam o investimento na sociedade.


Antonioguterres

Foto Reprodução ONU


Quando perguntado como chegou a este cargo, ele não teve dúvidas em confirmar que seu objetivo é servir às pessoas. “Eu penso que ser secretário é trabalhar para que os governos e organismos façam o que tenham que fazer para servir às pessoas”, definiu.