7 °C
Londres

​Londres pode ganhar ônibus sem motorista em 2019

|

GATEwayGreenwichnibussemmotorista

Projeto é realizado pela empresa Oxbotica na Península de Greenwich



Da redaçao (lLondres) - A notícia de que Londres poderá ter uma frota de ônibus sem motorista vem causando espanto e deixando muita gente curiosa. A informação foi dada em primeira mão pela BBC, dias atrás.


Atualmente, cerca de 100 britânicos estão participando de testes com o veículo. Os voluntários foram escolhidos entre 5 mil pessoas que se inscreveram para participar do projeto, que está sendo realizado em Greenwich.


Segundo informações, o ônibus viajará a uma velocidade de 16,1 km/h e será controlado por um computador. Uma pessoa treinada a conduzir a máquina ficará dentro do veículo em caso de necessidade.


Sem volante e freio, os ônibus serão pequenos e terão capacidade para quatro passageiros. O percurso, de 3,2 quilômetros, fica à beira do Tâmisa, perto da Arena 02, em trecho também utilizado por pedestres e ciclistas.


O ônibus pode ver até 100 metros à frente e é capaz de parar se detectar um obstáculo no caminho. Segundo a Oxbotica, desenvolvedora do protótipo, ele foi projetado para ser seguro num ambiente de pedestres. A empresa acredita que em dois anos o veículo pode ser utilizado normalmente como meio de transporte.


De acordo com o diretor-executivo da companhia, Graeme Smith, poucas pessoas testaram o veículo até o momento e a ideia do estudo é ampliar a percepção dos usuários. “Esperamos conseguir aceitação do público com relação aos veículos automáticos, que compartilham esse tipo de espaço com as pessoas”, explicou.


O secretário da Indústria britânico, Nick Hurd, afirmou que o Reino Unido tem uma “grande história de inovação no setor automotivo”. Segundo ele, “esse tipo de tecnologia tem o potencial de salvar vidas, além de oferecer liberdade a idosos com mobilidade reduzida”.


Segundo o site da Oxbotica, o GATEway (Greenwich Automated Transport Environment) é um projeto de pesquisa de £ 8 milhões. O objetivo é avaliar uso, percepção e aceitação de veículos automatizados, que utilizam combinação de sensores, câmeras, laser e softwares para se locomover.