19 °C
Países Lusófonos

Ex-rival de líder da independência é eleito presidente do Timor-Leste

|

MastirhamEPA

Francisco Guterres Lu-Olo é o novo presidente do país (Mast Irham/EPA)


Da redação (Londres) - Esta foi a terceira tentativa de Lu-Olo de chegar à Presidência. Ele havia perdido no segundo turno em 2007 e 2012. O político teve o respaldo do líder histórico da resistência timorense Xanana Gusmão, do CNRT, que pediu voto para o seu antigo rival e líder da Fretilin.


Lu-Olo recebeu cerca de 265 mil votos, aproximadamente 57,5% do total, ficando à frente de António da Conceição, que teve cerca de 148 mil votos, ou 32,5% do total. Os números são do Secretariado Técnico de Administração Eleitoral (STAE),


Para vencer, qualquer candidato teria de obter 50% dos votos válidos mais um, ou 261.289, valor já ultrapassado por Lu-Olo. O número total de eleitores aptos a votar foi de 743.150 mil.


Dirigentes do Partido Democrático (PD), que apoiou o segundo candidato mais votado, parabenizaram Francisco Guterres Lu-Olo.


O novo presidente recebeu o apoio dos foi maiores partidos timorenses, Fretilin (Frente Revolucionária de Timor-Leste Independente) e CNRT (Congresso Nacional para a Reconstrução de Timor-Leste).


António da Conceição, atual ministro da Educação e secretário-geral do PD, teve o apoio do Khunto - força ligada ao grupo de artes marciais Korka - e de alguns militantes do Partido de Libertação do Povo (PLP).


Antiga colônia portuguesa foi ocupada pela Indonésia 


O tétum e o português formam as duas línguas oficiais do país, enquanto o indonésio e a língua inglesa são consideradas línguas de trabalho pela atual constituição.


O país foi colonizado pelo Império Português no século XVI e era conhecido como Timor Português até a descolonização do país. No final de 1975, o Timor-Leste declarou sua independência, mas no final daquele ano foi ocupado pela Indonésia e anexado como a 27ª província do país no ano seguinte. 


Em 1999, após um ato de autodeterminação patrocinado pela ONU, o governo indonésio deixou o controle do território e Timor-Leste tornou-se o primeiro novo Estado soberano do século XXI, em 20 de maio de 2002.