6 °C
Home

Governo avisa que NHS cobrará antecipadamente de pacientes estrangeiros sem direito a tratamento

|

Da redação


Nhs

Foto Google


Os hospitais do sistema de saúde público britânico (NHS) serão obrigados a verificar se pacientes estrangeiros podem receber tratamento não urgente e deverão cobrá-los antecipadamente, anunciou o secretário de Saúde do Reino Unido, Jeremy Hunt. A lei passa a valer a partir de abril.


A medida significa que cidadãos não britânicos podem ter atendimento recusado caso não concordem em pagar as taxas do NHS. Entre os tratamentos não urgentes estão, por exemplo, operações de quadril e de catarata.


“Não temos problema com estrangeiros utilizando nosso NHS, desde que paguem uma contribuição justa, assim como os britânicos”, afirmou o secretário.


“Nosso objetivo é recuperar cerca de £500 milhões por ano, que poderão ser reinvestidos no tratamento dos pacientes”, complementou.


Pessoas que necessitem de tratamento de urgência serão atendidas pelo NHS, mas podem ser posteriormente cobradas caso seja constatado que elas não têm direito a usar o sistema de saúde público do Reino Unido.


Caso o tratamento seja cobrado, os pacientes serão avisados antes dos procedimentos começarem. Mesmo no caso de um médico familiar (GP) indicar um paciente para um hospital para diagnóstico, o pagamento teria que ser acertado antes do tratamento e feito antecipadamente.