6 °C
Países Lusófonos

TAP volta a operar voos diretos para Guiné-Bissau

|

(LONDRES) Da Redação - A companhia aérea TAP voltou a operar voos regulares e diretos entre Portugal e Guiné-Bissau desde 1º de dezembro. O trajeto havia sido suspenso há três anos. A empresa oferece dois voos por semana, de Lisboa para Bissau (capital do país africano).


O trajeto estava suspenso desde 10 de dezembro de 2013, quando as autoridades aeroportuárias guineenses forçaram o embarque num avião da companhia portuguesa de 74 sírios com documentos falsos.


A TAP alegou quebra de segurança no aeroporto de Bissau para suspender as operações. A tripulação justificou que foi forçada a transportar os passageiros, que pediram asilo em Portugal.


João Inglês, diretor das operações da TAP para a Guiné-Bissau e Gana, disse que a retomada dos voos é importante, mas negou que a companhia tenha abandonado o país após o incidente com os sírios.





Tapportugal

Foto: Profilbesitzer / Flickr 



Na época, o governo português classificou como “ato semelhante ao terrorismo” o embarque forçado dos passageiros. Guiné-Bissau era então dirigida por um governo de transição saído de um golpe militar.


Um inquérito foi aberto para apurar o caso. O governo de Portugal, no entanto, considerou que não foram dadas explicações suficientes e a TAP decidiu pela suspensão das suas operações para a Guiné-Bissau devido à “grave quebra de segurança” no aeroporto internacional Osvaldo Vieira.


A companhia Royal Air Maroc passou a fazer a ligação aérea entre Bissau e Lisboa, passando por Casablanca, em Marrocos, com escala de várias horas. Em novembro de 2014, a companhia privada portuguesa EuroAtlantic iniciou as suas operações regulares, ligando, com voos diretos, Lisboa e Bissau.