12 °C
Brasil

Campanha de Serra teria recebido R$ 23 milhões de caixa dois

|

01c5a9437b5148a1a000a8e1cefc0fae

(LONDRES) Da redação


Campanha de José Serra à presidência da República (2010) teria recebido R$ 23 milhões de caixa dois da Odebrecht, segundo afirmaram executivos da empreiteira aos investigadores da Operação Lava Jato. A informação foi publicada no jornal Folha de S.Paulo.

Serra é o atual ministro das Relações Exteriores do governo de Michel Temer. Segundo a Folha de S.Paulo, a revelação foi feita na semana passada a procuradores da força-tarefa e Procuradoria-Geral da República (PGR) por funcionários da Odebrecht que negociam acordo de delação premiada.


Essa é a primeira vez que Serra é citado como envolvido em esquemas de corrupção na Lava Jato. Executivos afirmaram que parte do dinheiro foi paga no Brasil e parte foi entregue por meio de depósitos em contas no exterior.

O acordo de delação premiada com funcionários da Odebrecht ainda não foi assinado. A empresa disse que apresentará extratos bancários de depósitos realizados no exterior que tinha como destinatária a campanha presidencial de Serra.

Informações do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) mostram que a empreiteira doou naquele ano R$ 2,4 milhões para a campanha de Serra, ou seja, se a denúncia for verdadeira, na verdade o valor total recebido seria de R$ 25,4 milhões.

Segundo a Folha de S.Paulo, executivos ainda relatarão propinas pagas a intermediários de Serra, no período em que foi governador de São Paulo, vinculadas à construção do Trecho Sul do Rodoanel.


Por meio da nota de assessoria de imprensa, Serra afirmou que conduziu a campanha à presidência, em 2010, dentro da legislação em vigor. “A campanha foi conduzida na forma da lei e, no que diz respeito a finanças, era de responsabilidade do partido”. Sobre o pagamento de propina na construção do Rodoanel, o atual ministro afirmou que considera a acusação “absurda”.