23 °C
Brasil

Retrato do desemprego: Brasil tem 10 milhões de trabalhadores informais

|

BNNP736 Brasil Desemprego

Foto: Agência Brasil


(LONDRES) Da redação - Dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua compilados pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (Ibre/FGV) mostram que há no Brasil 10 milhões de trabalhadores informais (sem carteira assinada).

No início do ano, eram 9,7 milhões. A tendência é de que o número de trabalhadores informais continue crescendo ao longo dos próximos meses, sobretudo porque o mercado de trabalho não deverá esboçar uma reação este ano.

Apesar do crescimento recente, esse número já foi maior. No fim de 2012, o contingente de informais chegou a 11,2 milhões de trabalhadores.


Para o Ibre, a taxa de desemprego deverá encerrar o ano em 12,3% – atualmente a desocupação está em 11,3%. No país, 10,3 milhões dos ocupados recebem até meio salário mínimo, o que equivale a uma remuneração mensal de apenas R$ 440. Essa parcela, que no primeiro trimestre representava 10,9% da população economicamente ativa, em 2015 estava em 7,9%.


IBGE vai divulgar índice de mão de obra subutilizada

O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), responsável pela Pnad Contínua, vai divulgar ainda novos dados sobre o mercado de trabalho a partir de novembro, com as chamadas medidas de subutilização da mão de obra — a quantidade de trabalhadores ocupados, mas que poderiam trabalhar mais horas na semana.

Além da taxa de desocupação, a pesquisa vai revelar um indicador de subutilização por insuficiência de horas trabalhadas e outro de força de trabalho potencial.