22 °C
Mundo

Terremoto no Peru deixa ao menos 4 mortos e mais de 50 feridos

|

BNNP735 Mundo Peru

Foto: Fowks



(LONDRES) Da redação 


Ao menos quatro pessoas morreram e 52 ficaram feridas no Peru após um terremoto de 5,2 graus na escala Richter, ocorrido às 21h58 (23h58 em Londres). O tremor foi particularmente intenso na região de Arequipa, onde existem pelo menos 110 casas inabitáveis no distrito de Ichupampa.



Em Yanque, um dos seis distritos de Caylloma, o terremoto destruiu casas, uma pousada e a igreja, informou um relatório de emergência do Instituto Nacional de Defesa Civil (Indeci). O epicentro foi registrado a 10 quilômetros a sudoeste do distrito de Chivay.



“Inicialmente, pensava-se que [o tremor] não era daquela magnitude”, disse a governadora da região de Arequipa, Yamila Osorio, ao explicar à emissora Radioprogramas que as equipes de resgate estão tendo dificuldade para chegar ao local da tragédia, porque a estrada está bloqueada e ainda não lá helicópteros para resgatar os feridos.


“Os helicópteros que estão em Arequipa não podem entrar porque (Yanque) está a 3.400 metros acima do nível do mar. Estamos esperando por aqueles que podem vir de Juliaca (uma cidade mais alta, na fronteira com a Bolívia).”


O Indeci relata que 40 famílias foram atingidas e perderam suas casas de adobe. “Estão transportando módulos de moradias e solicitando tendas”, afirmou Osorio, que não soube precisar quando chegará a ajuda já que as estradas estão bloqueadas.



Por meio de um tuíte, o presidente do Peru, Pedro Pablo Kuczynski, informou que o vice-presidente Martín Vizcarra dirigiu-se ao local da emergência: “Estamos levando ajuda para Caylloma e seus distritos afetados pelo terremoto. O VP Vizcarra já está na área, e o Ministro da Defesa levando ajuda”, disse.


O vice-ministro da Saúde, Percy Minaya, informou que um grupo de 15 médicos e equipes de resgate partiram na noite de domingo (14) para Chivay. Já o chefe do Escritório de Defesa Civil do Distrito de Chivay e o prefeito do distrito de Maca relataram ao Indeci que ambas as jurisdições estão sem energia elétrica.



O sismólogo peruano Francisco Valderrama disse à imprensa local que Yanque foi destruída devido ao tipo de solo da região: “Antes havia uma lagoa na localidade; então, a cidade está no fundo arenoso. É basicamente um solo muito arenoso, que amplifica as ondas sísmicas”.