14 °C
Comunidade

Brasileiros foram os mais ajudados por programa de Retorno Voluntário em Londres

|


BNNP735 Comunidade1

Foto: Reprodução




(LONDRES) Por Patricia Blumberg


Um dos grandes problemas combatidos pelo Reino Unido é a imigração ilegal ou irregular. Por isso, como estratégia para evitar conflitos legais e a própria deportação, o Home Office britânico criou o programa de Retorno Voluntário. Junto com instituições de apoio, tem conseguido apoiar o retorno espontâneo de muito estrangeiro.



Com a Casa do Brasil, em Londres, o Home Office criou uma parceria que funciona na capital britânica como uma espécie de “agência de turismo beneficente”. Em apenas um ano, esta ação em conjunto das duas instituições já embarcou 201 brasileiros de volta para o Brasil.



O programa oferece ajuda logística e financeira aos que pretendem voltar ao Brasil, além de passagem e auxílio para a documentação necessária. Em alguns casos, imigrantes recebem até assistência durante a viagem.


A ideia principal é evitar a remoção ou a deportação do imigrante que se encontra em situação ilegal ou possui visto de turismo válido, mas fez migração irresponsável e não tem como se manter no Reino Unido. O programa inclui também vítimas de tráfico humano, violência doméstica e exploração comercial.



“Para os imigrantes que desejam retornar para casa, e não contam com meios financeiros para suportar os custos da viagem de regresso, a Casa do Brasil é muitas vezes a única solução para as dificuldades encontradas”, disse Carlos Mellinger, presidente da instituição.


“Funciona como se realmente você fosse atendido por uma agência de turismo. Acolhemos o imigrante, que retorna ao país de origem de forma ‘digna e humana’”, acrescentou.



Entre outros benefícios, a Casa do Brasil em Londres auxilia no pagamento de acomodação após entrevista com o Home Office, ajuda no traslado para Heathrow, oferece aconselhamento psicológico antes do retorno e garante acompanhamento especial no aeroporto, principalmente no terminal 5, indicado a pessoas com dificuldades de comunicação ou locomoção.


“Em momento algum é feita qualquer cobrança aos candidatos ao retorno voluntário. Todos os serviços são gratuitos e não é necessário ser membro da nossa organização”, explicou Mellinger.



Perfil



Segundo dados divulgados pela organização, 202 estrangeiros entraram em contato com o serviço desde 2009. Destes, 201 são brasileiros.


Dados ainda apontam que o número tende a crescer em 2016, devido ao aumento da emigração no Brasil e às medidas cada vez mais rígidas propostas pelo Home Office britânico. “Esperamos para o próximo período a média de 20 retornos por mês”, acrescentou o presidente da organização.



Mas qual é o perfil desses imigrantes?Em geral são pessoas que estavam trabalhando no Reino Unido em situação irregular e com baixíssima remuneração. Mellinger ainda explicou que há dois tipos de imigrantes brasileiros, que buscam o auxílio do programa:



“Existem os imigrantes que moram no Reino Unido há anos, mas perderam o emprego recentemente e não conseguem mais retornar ao mercado de trabalho, porque as medidas de segurança mudaram bastante. Há também os que chegaram recentemente, aventuraram-se, gastaram todo o dinheiro e não conseguem mais se sustentar”.



A principal motivação para os brasileiros emigrarem para o Reino Unido é econômica. “Muitos dos que nos procuram dizem que vieram por dois ou três anos para tentar conseguir dinheiro para fazer alguma coisa no Brasil”, disse.


Combate à imigração no Reino Unido



Theresa May está disposta a fazer o que o ex-primeiro-ministro, David Cameron, prometeu e não cumpriu: reduzir imigrantes de forma líquida de 300 mil para "abaixo dos 100 mil". Vale lembrar que, a partir do final dos anos de 1990, a divergência entre saídas e entradas na grande ilha aumentou exponencialmente, particularmente, a partir de 2004 com o alargamento da UE aos países do Leste.



Enquanto as saídas sofreram ligeiro aumento, que não ultrapassou os 400 mil anuais, exceto no ano de 2008, as entradas subiram para 600 mil, tendo ultrapassado essa marca nos últimos dois anos.


Últimas estimativas do Office for National Statistics para o ano de 2014 mostram 5,4 milhões de imigrantes numa população de 64,3 milhões (8,4% do total). Desses imigrantes, 3 milhões vieram da UE e 2,4 milhões de países fora da comunidade europeia, incluindo o Brasil.


No topo da lista dos países de origem dos imigrantes encontra-se a Polônia, com 853 mil; distante da Índia (365 mil); Irlanda (331 mil); Paquistão (210 mil); Romênia (190 mil); Portugal (175 mil cada). A população de origem asiática com cidadania britânica não está incluída nessas estimativas.



Como participar do retorno


De acordo com a Casa do Brasil em Londres, a identidade da pessoa que quer participar do programa é mantida em sigilo, e o retorno é feito de maneira bastante discreta. “A pessoa volta ao Brasil como se tivesse comprado uma passagem em uma agência de turismo, sem qualquer exposição”, comenta Carlos Mellinger.



O sucesso do programa garantiu a renovação do contrato da Casa do Brasil com o Home Office, que pretende melhorar o atendimento e o alcance do apoio não apenas aos brasileiros, mas a outras nacionalidades que também queiram retornar para seu país de origem.


Para obter informações sobre o Programa de Retorno Voluntário, basta acessar o website http://casadobrasil.org.uk