23 °C
Londres

Autor de ataque com faca em Londres é acusado de homicídio

|

BNNP734 Londres Esfaqueamento

Foto: Jonathan Brady/PA via AP / Flores próximo ao local do esfaqueamento, em Russell Square, Londres



(LONDRES) Da redação


O jovem Zakaria Bulhan foi enfim acusado pelo assassinato de uma turista americana Darlen Horton (64) no ataque à faca no centro de Londres, em 3 de agosto, e pela tentativa de homicídio a outras cinco pessoas, após o incidente ocorrido na Russel Square. Em nota, a polícia informou que Bulhan está detido e que comparecerá à corte de magistrados de Westminster.

Morador do sul de Londres, Bulhan tem nacionalidade norueguesa, origem somali e mudou-se para o Reino Unido em 2002. Dentre os feridos, um britânico continua no hospital, enquanto um americano, dois australianos e uma israelense receberam alta nesta semana.

A Russell Square fica perto do centro de Londres, numa zona movimentada por turistas, próxima ao Museu Britânico e à Universidade de Londres.


BNNP734 Londres Esfaqueamento2

Foto: Divulgação / Primeira fotografia do suspeito divulgada nesta semana



Vítima americanaDarlen Horton era casada com um professor de psicologia da Universidade do Estado da Flórida (FSU, na sigla em inglês), afirmou a própria universidade em comunicado. O marido é Richard Wagner, eminente professor da instituição. Segundo a Reuters, Wagner e a esposa estavam na capital inglesa, porque ele dava aulas de verão, por meio do Programa de Estudos de Londres da FSU.


Prefeito pede calma
O prefeito de Londres, Sadiq Khan, pediu para que a população mantenha a calma. Khan expressou solidariedade "às vítimas do incidente em Russell Square e seus entes queridos" e ressaltou que a segurança dos londrinos é sua "prioridade número um".

Terrorismo descartado
A hipótese de terrorismo foi descartada pela Polícia Metropolitana. O comissário-adjunto de operações especiais da polícia londrina, Mark Rowley, assegurou que a "saúde mental" do suspeito é a "principal linha de investigação". A equipe antiterrorista ajudou no início da investigação, mas entregou nesta semana todo o trabalho à unidade de homicídios