4 °C
Home

Cerca de 13 mil vítimas da escravidão moderna vivem no Reino Unido

|



BNNP734 Reino Unido Escravos Modernos

Foto: Getty Images 


(LONDRES) Por Patricia Blumberg


O trabalho escravo foi banido em quase todos os países, mas ainda existem muitas pessoas vivendo sob essa condição ao redor do mundo.

Entre as mulheres, as formas mais comuns dessa violência são forçá-las a se casar, a fazer serviços domésticos ou a se prostituir. No caso dos homens, destaca-se o serviço em barcos da indústria da pesca.


A chamada escravidão moderna atinge mais de 45,8 milhões de pessoas no mundo, segundo a edição do ano passado do Índice Global de Escravidão, publicado pela Fundação Walk Free, da Áustrália. A maioria (quase 35%) está na Ásia.

No Reino Unido, até 13 mil pessoas são vítimas de tráfico, exploração sexual e outras formas de escravidão moderna. Os dados do governo britânico incluem mulheres e meninas forçadas à prostituição ou exploração sexual com fins lucrativos, empregados domésticos trabalhando por pouca ou nenhuma remuneração e trabalhos forçados em fazendas e fábricas.


"O primeiro passo para erradicar o flagelo da escravidão moderna é reconhecer e confrontar-se com sua existência", disse a primeira-ministra Theresa May, em artigo publicado pelo jornal The Sun. "A escala estimada do problema no Reino Unido é chocante. Os dados reforçam a necessidade de uma ação urgente e o Reino Unido não irá tolerar mais esse tipo de doença."


May, que considera a escravidão moderna como "verdadeiro demônio do comércio mundial", irá injetar um fundo de mais de £30 milhões para combater o problema. "Esse investimento é inédito no país e vai ajudar a profissionalizar nossas investigações sobre o assunto", disse.


Uma dimensão difícil de calcular


As autoridades afirmam que o número de casos notificados está em ascensão nos últimos anos. Além disso, a verdadeira dimensão do problema é difícil de fixar, porque as pessoas são controladas, escondidas ou têm medo de ir à polícia.

Entre as vítimas constam pessoas trazidas de mais de cem países, especialmente da Romênia, Albânia, Polônia e Nigéria. Porém, autoridades também salientam que adultos e crianças vulneráveis, de nacionalidade britânica, também estão sendo assediados sistematicamente por traficantes.


A Agência Nacional contra o Crime calcula que o Reino Unido ocupa o terceiro lugar no ranking dos países de origem das vítimas identificadas.

Para incentivar britânicos a denunciar casos suspeitos e orientar pessoas que estão nesta situação a buscar ajuda, o governo vem divulgando desde 2014 a campanha “A escravidão está mais perto do que você pensa”, em que mostra cenas de pessoas forçadas à prostituição, servidão doméstica e trabalho escravo agrícola. Para assistir ao conteúdo visual, acesse nossa página online, www.noticiasemportugues.co.uk