0 °C
Comunidade

Londres ganha murais feitos por artista brasileiro

|


Foto1

Foto: Arquivo pessoal / Mural feito em Park Lane, Croydon (CRO 1YJ)


(LONDRES) Da redação 


Pelas ruas de Londres é possível, desde a última semana, encontrar um pouco do Brasil através da arte urbana. Os bairros alternativos Camden Town, Hackney Wick e Croydon ganharam murais desenhados pelo artista brasileiro Evandro Angerami, de 37 anos.

De Perdizes, em São Paulo, para o mundo, Angerami já teve seus quadros em exposição em Nova York, Paris e Dinamarca. Aqui em Londres, o artista foi convidado para participar do maior festival de arte urbana da Europa, o Upfest, no sul de Bristol.


Foto2

Foto: Arquivo pessoal / Peixe inspirado em grafismo Caiapó feito em Ashton Gate School, Bristol 



Após o fim da atividade, no início de agosto, Angerami descolou contatos que se interessaram pela sua arte através da parceria com a Pigment, uma inicitiva que ajuda a difundir o trabalho de artistas brasileiros tanto no contexto movimentado do centro de Londres, quanto nos grandes murais das áreas mais periféricas de São Paulo. O resultado dessa parceria foi um belíssimo trabalho realizado pelas ruas da cidade e uma estadia movimentada do começo ao fim.

Entre muros, galerias de arte e trajetórias ao ar livre, Angerami expõe um trabalho que usa a natureza como inspiração. “Através da pintura, tento expressar alguma coisa de essencial na natureza através do universo visual. É uma tentativa de estimular ou ativar algo dentro de cada um de nós, que estaria acontecendo instintivamente se estivéssemos frente à natureza. Foi esse sentimento que quis deixar em Londres, uma cidade linda, mas que é cercada por prédios e construções civis”, explica o artista para o BN Notícias em Português.

Muitas dessas artes carregam uma simbologia particularmente brasileira. A figura do peixe em um dos murais desenhados pelo artista leva o grafismo típico da comunidade Caiapó, grupo indígena habitante da Amazônia.

“Em um dos meus projetos, que leva pintura onde a arte é ainda inacessível, conheci esse grupo que me ensinou uma cultura muito bonita. Quando o primogênito nasce, todos da família devem se pintar com esses traços. É uma forma de avisar a comunidade sobre a chegada do primeiro filho. Fiz esse desenho como uma metáfora do meu trabalho, porque esta é minha estreia em Londres”, pontua.



Sobre o artista


Mestre em pintura pela New York Studio School of Panting, Drawing and Sculpture, o trabalho de Angerami é amplamente colecionado na Romênia, Rússia, EUA, Dinamarca , Holanda e Brasil. Ele já expôs em galerias de Paris, São Paulo e Nova Iorque, e espaços públicos como a Pinacoteca Bentido Calixto, o Museu de Arte do Parlamento de São Paulo e a sede da ONU em Nova Iorque. Para conhecer mais sobre o artista, acesse angerami.com