4 °C
Londres

Ataque com faca deixa mulher morta e cinco feridos em Londres

|


Web russell

Polícia chega a praça onde houve ataque com faca em Londres (Foto: Reprodução/Twitter)



(LONDRES - Da redação) Um ataque a faca na Russell Square, centro de Londres, deixou uma mulher morta e até cinco pessoas feridas na madrugada desta quinta-feira (4). A polícia disse que um homem de 19 anos foi preso e não descartou a possibilidade de terrorismo. Em comunicado, autoridades afirmaram que uma mulher de 60 anos foi socorrida no local do crime, mas foi declarada morta pouco tempo depois.


Outros quatro homens e uma mulher foram hospitalizados imediatamente. Dois deles ainda se encontram sob medicamentos no hospital.


O caso está sendo investigado pelo comando antiterror. A polícia disse que a saúde mental do criminoso era provavelmente um fator significativo para a ação, mas manteve a suspeita de terrorismo.


"Terrorismo é uma das possibilidades sendo exploradas neste momento", disse a polícia em nota.


Em entrevista à rádio BBC, um morador local chamado Paul disse que o crime parecia ter sido cometido por um grupo de pessoas.


“Quando viramos a esquina, vimos policiais armados em todos os lugares, uma presença massiva de agentes, e um cadáver na rua, coberto com uma manta”, relatou. “Aparentemente, uma gangue esfaqueou a mulher e a matou. Eu não via tanto policiamento na rua desde 7/7“


Testemunhas no local confirmam que há forte presença policial na praça e um cordão de isolamento foi estabelecido na cena do crime.


Pela manhã, a polícia da capital britânica anunciou que colocaria mais 600 agentes armados nas ruas, em prevenção à ameaça de atentados terroristas. No entanto, autoridades negaram que a medida viesse em resposta a alguma ameaça em particular — mas, sim, uma resposta a longo prazo por conta dos ataques recentes na Europa. Seguindo a linha de atuação da polícia britânica, a maioria dos agentes londrinos não carrega armas.


"Qualquer um que esteja seguindo os eventos na Europa ao longo das últimas semanas entenderão o motivo de querermos mostrar determinação em proteger a população", disse o Comissário da Polícia, Bernard Hogan-Howe, em nota.

Na semana anterior, Hogan-Howe reconheceu que a população estava cada vez mais preocupada com a possibilidade de o Reino Unido ser o próximo alvo de um ataque:


“Você poderia dizer que é um caso de quando, e não se (haverá um ataque)” afirmou.