7 °C
Cultura & Lazer

Pokémon GO marca encontro em Londres, e 5 mil comparecem a Westminster

|

Foto: Reprodução Twitter/  A imagem é da porta da casa do ex-prefeito de Londres, Boris Johnson, onde os seres animados foram vistos 


(LONDRES) Por Fernanda Freitas


O sucesso do Pokémon GO é tanto, que no sábado (23) cerca de 5 mil pessoas estiveram reunidas em Westminster, para um grande encontro de jogadores.


No dia da primeira aparição da primeira-ministra, Theresa May, em sua residência oficial, um repórter da BBC, que aguardava para cobrir o evento, capturou um “Pikachu” precisamente na 10 Downing Street. Os seres animados também foram vistos na porta da casa do ex-prefeito de Londres, Boris Johnson.


Segundo dados divulgados pela Google, o termo “Pokémon” é mais pesquisado que temas de sexo nessa ferramenta de busca.


Foto: Reprodução 


O jogo


Com os mesmos personagens do desenho animado, sucesso nos anos de 1990, o Pokémon GO é um jogo para smartphones e se tornou febre mundial. O aplicativo, que inicialmente foi lançado apenas nos Estados Unidos e na Nova Zelândia, chegou oficialmente ao Reino Unido há pouco menos de 15 dias e já ultrapassou meio milhão de downloads.

Criado pela Nintendo, é um jogo de realidade aumentada, por esse motivo, um tanto quanto inovador se comparado com aplicativos tradicionais para smartphones. Pokémon GO também usa recurso do GPS e da câmera do celular. O que está no mundo real é representado dentro do game; é justamente essa linha tênue entre tecnologia e realidade o fator mais interessante e preocupante.


Foto1


Basicamente, ao acessar o Pokémon GO, você verá o seu personagem no meio de um mapa, gerado a partir das informações de localização geográficas, emitidas pelo celular com a função GPS, ou seja, parques, quadras, ruas e tudo o mais estarão representados no mapa do jogo. O recurso da câmera, é ativado quando um Pokémon é encontrado. Para capturá-lo é preciso ativar a câmera e apontar em sua direção, a partir de então você passa a ver a paisagem local através do smartphone com um Pokémon à frente, como se ele estivesse ali, no mundo real.

Vale lembrar que esse recurso pode ser desativado, mas a infinita gama de fotos curiosas que podem ser tiradas faz com que a maioria dos jogadores prefira manter a câmera.


Como nem tudo na vida é diversão, claro que um jogo que se popularizou tão rápido também teria seus pontos negativos. O principal deles é o de ser invasivo, já que um aplicativo que usa localização geográfica e câmera capta muitas informações. Como se não bastasse, aceitar os Termos de Uso do Pokémon GO significa acatar o repasse desses dados para agências de inteligência.



Outro ponto que tem causado preocupação é a distração causada pelo Pokémon GO. Desde seu lançamento, acidentes de variados níveis de gravidade estão acontecendo. Afinal andar pela rua, prestando atenção no celular é tão perigoso, que as forças policiais, responsáveis pela área de Richmond, em Londres, fizeram uma campanha nas redes sociais, alertando sobre os riscos dessa desatenção do jogador com o espaço ao redor. Apesar disso, diariamente mais pessoas estão se rendendo a esse fenômeno e se tornando treinadores de Pokémons, como os usuários são virtualmente chamados.