15 °C
Moda & Beleza

“Démodé”? Não! A rainha nunca saiu de moda

|


Rainha e sua regra básica para formar o look

Foto: ArquivoThe Telepragh


(Londres)Da redeção

A filosofia do guarda-roupa da rainha pode ser resumida por uma frase de Norman Hartnell, estilista real que em 1953 disse ao jornal The New York Times: "A rainha não se preocupa em estabelecer tendências. Isso fica para quem tem menos trabalho a fazer".


A soberana, em outras palavras, está acima da moda. O estilo tem origem no começo de seu reinado, há mais de 60 anos, e ela se recusou a abandoná-lo. Ele está intimamente ligado a sua identidade, e embora pareça "sem esforço", manda mensagens sutis - autoridade, tato e diplomacia, por exemplo; quando a ocasião exige: elegância e opulência.


Raramente a rainha foge à regra. Desde os anos 50, ela usa a mesma combinação de jaqueta de tweed e saia com estampa escocesa tipo tartan. O padrão cinza, preto e vermelho é personalizado e foi criado pela rainha Vitória e o príncipe Albert quando adquiriram o castelo no século 19.


Elizabeth II manda uma mensagem ao usar a mesma roupa> Diferentemente de outros círculos aristocráticos, ela não é chegada à ostentação constante.


Regras básicas


Salto de 5 cm nos sapatos; saia abaixo dos joelhos e barra com pesos para evitar constrangimentos em dias de vento; chapéus altos, mas não muito largos, de cores ousadas: verde-limão ou coral, por exemplo.


Tudo funciona a ponto de o estilo de Elizabeth II ter se transformado num paradigma de vestuário, que subjetiva empoderamento feminino devidamente copiado por líderes como Margaret Thatcher, Angela Merkel e Hillary Clinton.


O look envia mensagens de poder e estatura e é popular no mundo da moda em 2016. Estilistas como Saint Laurent, Gucci e Valentino incorporaram tons monárquicos a suas coleções de primavera-verão. Isso sugere que, mesmo aos 90 anos, a mensagem passada pela soberana, por meio de sua alfaiataria, ainda tem sua mágica.



Exposição sobre a história do estilo da rainha vai até o dia 2 de outubro

Foto: ArquivoThe Telepragh


Exposição abre o guarda-roupa da rainha


"A rainha está sempre apropriada. O apelo vem de um componente inglês - elegância clássica e atemporal", afirma Caroline de Guitaut, curadora da mais nova exibição sobre o estilo da rainha - e que aborda os 90 anos de vida de Elizabeth II.


“Fashioning a Reign: 90 Years of Style from The Queen's Wardrobe” ficará em exposição de 23 de julho a 2 de outubro no Buckingham Palace.


O lado subliminar do vestuário diplomático da rainha também foi trabalhado na exposição. Em suas viagens internacionais, cada traje tem um bordado sutil ou mesmo um padrão de cor destinado a cumprimentar o anfitrião. Numa visita à Austrália, ela usou um vestido com o vime, flor-símbolo do país, por exemplo. Nas sete vezes em que esteve no Vaticano sempre usou preto e um véu.


Nos dias de hoje, o guarda-roupa real é criado por Angela Kelley, e os modelos de vestidos e chapéus de cores coordenadas, que a rainha usa em suas aparições públicas, tornaram-se sua marca registrada. Um estilo instantaneamente reconhecido.