19 °C
Europa

Merkel ao Reino Unido: "Quem quer as vantagens deve aceitar as obrigações"

|

BNNP728 Europa Merkel


Foto: Getty Images


A chanceler federal alemã, Angela Merkel, enviou um claro recado ao Reino Unido nesta última terça-feira (28), em declaração pública no Bundestag (Parlamento), em Berlim.


Segundo ela, o governo alemão vai assegurar que as negociações para a separação não se darão segundo o princípio "selecionar apenas o que convém". Para Merkel, deve existir uma diferença sensível entre os países que optam pela União Europeia (UE) e os que preferem ficar de fora.


Merkel alertou que quem deseja sair da "família europeia" não pode esperar se livrar de todas as obrigações e manter apenas os privilégios. "Quem quer acesso ao mercado comum europeu tem que aceitar todas as obrigações", afirmou. Estas incluem a livre circulação de trabalhadores, um dos principais tópicos da campanha pró-Brexit no Reino Unido.


"Acesso ao mercado comum europeu consegue aquele que aceita as quatro liberdades fundamentais europeias: a de pessoas, de mercadorias, de serviços e de capital", afirmou. "A Noruega não é membro da União Europeia e tem acesso ao mercado comum porque aceita a livre circulação de pessoas", disse a chanceler.


Ela também reiterou que não haverá negociações, formais ou informais, enquanto o Reino Unido não ativar o artigo 50º do Tratado de Lisboa, que inicia os trâmites da saída de um membro.


Merkel também destacou as boas relações com o Reino Unido e disse que as negociações para a separação devem ocorrer num clima cordial, pois os britânicos continuam sendo parceiros em diversas instituições, como a Otan.

Para Merkel, a União Europeia é forte o suficiente para continuar sem o Reino Unido e também forte o suficiente para ser bem-sucedida na defesa de seus interesses.