- °C
Europa

Day after: ​sexta-feira triste e preocupante

|

FullSizeRender 1

foto: reprodução BBC


(LONDRES) Por Cristiane Lebelem - Logo de manhã, quando a imprensa britânica confirmou que pela votação apertadíssima do referendo, um total de 52% dos votos resultavam na vontade dos cidadãos britânicos de deixar o bloco europeu, o primeiro-ministro David Cameron ainda não havia se pronunciado.


Enquanto um batalhão de pessoas esperam por uma declaração oficial em frente à porta número 10 da Downing Street, a residência oficial e o escritório do primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron, os imigrantes que levantaram cedo para garantir o ganho do dia.



A City of London, coração do mercado financeiro do mundo, despertou com a expectativa da verdadeira sexta-feira negra, já que a libra fechou a quinta-feira com o valor mais baixo desde 1985, uma desvalorização considerável frente ao dólar e ao euro.



Sem respostas sobre o futuro do Reino Unido, da própria União Europeia, e das relações internacionais frente ao resultado que muda a concepção de globalização no planeta, a sexta-feira será um dia angustiante. Não apenas para os milhões de imigrantes que saíram para trabalhar cedo e não sabem quando exatamente devem, ou se devem, preparar a bagagem para ir embora, mas também para David Cameron, que terá que lidar com o divórcio mais complexo e doloroso que se desenha no cenário atual.