12 °C
Brasil

Abin monitora grupo em português criado pelo Estado Islâmico no Telegram

|

 A Abin (Agência Brasileira de Inteligência) está monitorando um grupo no aplicativo Telegram que troca informações, em português, sobre o Estado Islâmico. A instituição confirmou a existência do grupo, chamado Nashir Português, que é uma referência à agência de notícias utilizada pelo Estado Islâmico para publicar seus manifestos, a Nashir News Agency. 

 

A movimentação preocupou a agência brasileira, que tenta evitar possíveis recrutamentos de cidadãos do país dois meses antes da Olimpíada no Rio de Janeiro, evento que atrai delegações de todo o mundo.

 

"Essa nova frente de difusão de informações voltadas à doutrinação extremista, direcionada ao público de língua portuguesa, amplia a complexidade do trabalho de enfrentamento ao terrorismo e representa facilidade adicional à radicalização de cidadãos brasileiros", informou a Abin por meio de nota.

 

Segundo a Abin, "as organizações terroristas têm empregado ferramentas modernas de comunicação para ampliar o alcance de suas mensagens de radicalização direcionada, em especial, ao público jovem".

 

As primeiras mensagens publicadas neste grupo recém-criado incluem um discurso com mais de 14 páginas, já traduzido para o português, de Abu Muhammad al-Adnani, porta-voz do Estado Islâmico. O conteúdo contém basicamente propaganda jihadista, já difundido em outras línguas.

 

A agência de monitoramento de terrorismo SITE Intelligence Group afirma que o grupo foi criado em 29 de maio após uma série de mensagens em outros grupos anunciando a procura de simpatizantes que falassem português para a tradução de seus materiais de propaganda.