11 °C
Home

Jo Cox homenageada pelos deputados britânicos

|

Deputada
Jo Cox foi assassinada no último dia 16 de junho (Foto: Divulgação)


Nesta segunda-feira (21), deputados fizeram uma homenagem à deputada assassinada Jo Cox em sessão extraordinária do Parlamento pouco antes da cerimônia realizada na igreja de Santa Margarida. David Cameron recordou-a como “uma voz de compaixão” e o líder trabalhista, Jeremy Corbyn, considerou a sua morte “um ataque a toda a democracia”.


A sessão, aclamada como urgente e indispensável, provocou a pausa na campanha de reta final pelo referendo do dia 23 de junho. Cameron se referiu à política de 41 anos como "uma voz singular de compaixão, cujo espírito irrepreensível e energia indomável iluminaram as vidas de todos os que a conheciam e salvaram as vidas de muitos que ela nunca conheceu". Antes de ser eleita, há pouco mais de um ano, Cox trabalhava com organizações humanitárias, tendo-se dedicado, nomeadamente, aos refugiados da Síria e do Darfur.


Mw860
Cameron e Corbyn, durante cerimônia (WILL OLIVER/EPA)


Com o viúvo e os filhos de Cox na assistência, Corbyn direcionou seu discurso para uma urgente "mudança na política". "Toleremos um pouco mais e condenemos um pouco menos", pediu.


Jo Cox morreu em Birstall, norte da Inglaterra, no último dia 16. O assassinato, cometido por um simpatizante neonazista que gritou "Morte aos traidores, liberdade para a Grã-Bretanha" na primeira audiência com um juiz, parece marcar um ponto de inflexão na campanha, provocando uma mudança no tom beligerante pelo referendo.