16 °C
Brasil

Com Dilma afastada e Temer no comando, política brasileira sofre momento crítico

|

(LONDRES) Por Fernanda Freitas - Na última semana diversas mudanças aconteceram no país, desde o afastamento da presidente Dilma Rousseff até mudanças nas pastas ministeriais. Entenda a trajetória dos acontecimentos no Brasil.


Dia 11.05

Na noite de quarta-feira (11), teve início a votação do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff no Senado Federal. Essa é a segunda vez na história, após Fernando Collor de Melo, em que se decide o afastamento de um presidente eleito por maioria nas urnas.


Dia 12.05

Às 6:34hs da manhã, antes mesmo do sol nascer, com a maioria dos votos no Senado, o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff foi aberto. Foram 55 votos a favor e 22 contra. A partir de hoje, Dilma ficará afastada da presidência por 180 dias e o seu vice, Michel Temer, assumirá como presidente interino.


BNNP722 discursoafastamentodilma

Ainda na quinta-feira, Dilma discursou após deixar o Palácio do Planalto, pedindo que as pessoas que a apoiam continuassem mobilizadas durante o período de afastamento.

Enquanto isso, Temer realizou seus primeiros atos como presidente e anunciou novas mudanças ministeriais, que incluíram a escolha de novos 21 ministros, dentre eles dois estão sob investigação e outros sete são citados na Operação Lava-Jato. Além da redução de 32 para 23 no número de ministérios. Foram extintos, o Ministério da Cultura, que foi unificado ao Ministério da Educação. O Ministério das Mulheres, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos, cujo as pautas passarão a ser discutidas no Ministério da Justiça e Cidadania.


Outras mudanças incluíram a extinção da Secretaria de Portos da Presidência da República, Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República, Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, Ministério das Comunicações, Ministério do Desenvolvimento Agrário, Casa Militar da Presidência República, e a Controladoria-Geral da União que passou a ser assunto do novo Ministério de Estado da Transparência, Fiscalização e Controle.


Os novos ministros tomaram posse na tarde de quinta-feira, confira abaixo os nomeados para cada cargo.

Gilberto Kassab, ministro de Ciência Tecnologia, Inovações e Comunicações,

Raul Jungmann, ministro da Defesa,

Romero Jucá, Planejamento, Desenvolvimento e Gestão,

Geddel Vieira Lima, ministro-chefe da Secretaria de Governo,

Sérgio Etchegoyen, ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional,

Bruno Araújo, ministro das Cidades,

Blairo Maggi, ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento,

Henrique Meirelles, ministro da Fazenda,

Mendonça Filho, ministro da Educação e Cultura,

Eliseu Padilha, ministro-chefe da Casa Civil,

Osmar Terra, ministro do Desenvolvimento Social e Agrário,

Leonardo Picciani, ministro do Esporte,

Ricardo Barros, ministro da Saúde,

José Sarney Filho, ministro do Meio Ambiente,

Henrique Alves, ministro do Turismo, José Serra, ministro das Relações Exteriores, Ronaldo Nogueira de Oliveira, ministro do Trabalho,

Alexandre de Moraes, ministro da Justiça e Cidadania,

Mauricio Quintella, ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil,

Fabiano Augusto Martins Silveira, ministro da Fiscalização, Transparência e Controle (ex-CGU),

Fábio Osório Medina, AGU


Dia 13.05

Entre os indicados pelo presidente interino por 180 dias estão nomes envolvidos em mais escândalos e investigações. Segundo Michel Temer, o seu governo tem como meta “rever o Brasil por dentro” e para colocar em prática todas as mudanças necessárias, ele convocou, no dia seguinte a sua notificação como presidente interino, a sua primeira reunião ministerial, no Palácio do Planalto.


BNNP722 temernovosministros

Na área de Educação e Cultura, o Ministro Mendonça Filho afirma que nenhum projeto será descontinuado, já no Ministério dos Transporte, foi encomendado um novo projeto para recuperar a malha viária do país, caso necessário, deverá contar com o apoio de investimento privado.

O ministro das Cidades, Bruno Araújo, afirmou que em sua gestão irá rever a eficiência dos atuais programas de habitação e saneamento. Assim como o O novo ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra, que também fará reavaliações do Bolsa Família, para que as pessoas que já não necessitam do programa passem a buscar uma nova fonte de renda.



Dia 15.05

A situação política no país continua polarizada. Na noite de domingo, em diversas capitais do país houveram manifestações contra o Presidente Michel Temer. Em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Brasília e Salvador o som do bater das panelas ecoou durante a entrevista de Temer para um canal de televisão.


Enquanto isso, a casa de Michel Temer, localizada em um bairro nobre de São Paulo, está frequentemente cercada por apoiadores que, fazem vídeos e fotografias em frente a fachada da residência para demonstrar admiração ao político.


Nesta segunda-feira (16) o presidente interino, Michel Temer, reuniu-se com o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, Paulo Skaff, com uma agenda que também deve afetar as relações trabalhistas e os direitos dos trabalhadores, assim, como propor acordos para movimentar o setor industrial mais forte do país.