18 °C
Mundo

Na semana mundial da vacinação, Angola tem como meta imunizar 90% dos habitantes

|


Braziliannewsnoticiasemportugues720 vacinaoangolafebreamarela

Portal Angop / Campanha de vacinação


(LONDRES) Por Fernanda Freitas - Em Angola a semana comemorativa cujo tema foi “Complete o Calendário de Vacinação da sua Criança”, alertou para a importância da vacinação de rotina, principalmente durante o primeiro ano de vida. A mobilização nacional para conscientizar a população acontece em momento crucial para o país, que está atualmente vivendo um surto de casos de febre amarela.


Segundo o especialista em imunização do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), Titus Angi, a expectativa é de que 90% das pessoas sejam vacinadas em todo o país e para isso contam com o apoio de forças militares e policiais. Cerca de 300 a 400 cadetes do Instituto Superior de Saúde foram treinados para atuarem como vacinadores, em Luanda. Já os policiais ajudam estabelecendo a ordem nas áreas de vacinação.


Angi ainda ressaltou que “a semana de imunização é muito importante para nós em Angola. Parceiros, assim como o governo, querem aumentar a cobertura de vacinação no país. Nestes dois, três anos, houve uma tendência de declínio de cobertura de vacinação de rotina. Esta semana é bem-vinda porque ajuda a criar mais mobilização da comunidade, de pessoal, de recursos para assegurar que haja vacinação em áreas de difícil acesso”.


Surto de febre-amarela


A Organização Mundial da Saúde alegou que foram detectados casos de febre-amarela em vários países de África e da Ásia, associados ao atual surto em Angola, que desde de dezembro já provocou a morte de 258 pessoas.

Muitos são os desafios para exterminar a doença no país, entre eles as fortes chuvas, que bloqueiam o acesso e a logística para o controle dos agentes causadores, e a falta de recursos financeiros, que até então ameaçava os investimentos em estratégias para a imunização. Porém, visando reverter esse quadro, o Governo angolano anunciou ter disponibilizado, na semana passada, 1,254 mil milhões de kwanzas (cerca de 5 milhões de libras esterlinas) para o setor de saúde.