21 °C
Mundo

​Depois da tragédia com mortos no Equador, outro abalo atinge o continente americano

|

Abalomexicoguatemala

Imagem: Serviço Sismológico Nacional do México


(Londres) Da redação - Na madrugada desta segunda-feira, o Serviço Sismológico Nacional do México registrou um sismo de magnitude 6 estremeceu a costa do estado mexicano de Chiapas, incluindo a região de fronteira da Guatemala.


O epicentro foi registrado no Oceano Pacífico, a 131 quilômetros ao sudoeste da região de Hidalgo, numa profundidade de 16 quilômetros. Segundo autoridades locais, não há registro de feridos.



Enquanto isso, na América do Sul, o Equador ainda conta suas vítimas. O número de mortos causado pelo terremoto que o atingiu no dia 16 de abril chegou a 602 segundo as autoridades. Para piorar a situação, o país foi atingido por novos tremores.



Na sexta-feira (22) houve uma réplica de 5,8 graus na escala Richter segundo o Serviço Geológico dos Estados Unidos. O tremor aconteceu na costa do Equador, perto do terremoto inicial, mas agora um pouco mais distante, cerca de 26 quilômetros da cidade de Muisne, a uma profundidade de 10 quilômetros. No dia anterior, um terremoto de 6 graus atingiu a costa, a cerca de 100 km a norte-noroeste de Portoviejo e a uma profundidade de 10 km.




O terremoto de duas semanas atrás (7,8 graus) foi o pior em quase sete décadas no país. Além dos mortos, 12.492 pessoas ficaram feridas e há 130 desaparecidas, afirmaram em boletim as autoridades de gestão de emergência.




"Quando começou a tremer nós começamos a rezar", disse Alex Bachón (43), um operário que trabalha na reparação de danos causados pelo terremoto maior, num hotel de Guayaquil. "Eu nunca vi nada parecido com isso, foi muito ruim”, complementou.




Houve mais de 70 tremores secundários desde a quinta-feira (21) segundo o instituto de geologia do país. Desde o terremoto de sábado, um total de 700 tremores secundários ocorreram no Equador e continuarão por várias semanas, alertou a autoridade de emergência Ricardo Peñaherrera, pedindo aos equatorianos para ficarem calmos.