9 °C
Londres

​Em Londres, manifestantes exigiram que David Cameron deixei o cargo

|

(LONDRES) Da Redação - Centenas de pessoas concentraram-se em Holborn em resposta aos Papéis do Panamá

O escândalo dos papéis do Panamá levou centenas de manifestantes no sábado (9) a protestar de frente de um hotel na capital inglesa, onde o primeiro-ministro David Cameron chegava para um evento. Com cartazes e chapéus "panamá", as pessoas queriam que Cameron pedisse demissão do cargo, depois de já ter admitido que saiu beneficiado de um investimento feito pelo seu pai, Ian, num paraíso fiscal.


Cameron chegou a negar durante alguns dias que teria interesses em paraísos fiscais, Cameron reconheceu quinta-feira que teve ações no valor de mais de 30 mil libras num fundo de investimento nas Bahamas, garantindo, porém, que todas as transações estiveram sujeitas aos impostos no Reino Unido.


Dentro do hotel, Cameron fez uma rápida declaração com tom de desculpas, dizendo que aprendeu sua lição. Os manifestantes seguiram depois para a região de Covent Garden.


Como a história começou


A ligação com a offshore o teria sido pai de David Cameron, que faleceu em 2010. Mas Cameron seria o titular, em conjunto com a mulher, Samantha, de 5.000 títulos no Blairmore Investment Trust, registado nas Bahamas, entre 1997 e janeiro de 2010, ou seja, quatro meses antes de tomar posse como primeiro-ministro.

O escândalo veio a tona quando o Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação (ICIJ, na sigla inglesa) apresentou uma investigação sobre pessoas e entidades que estão envolvidas em operações financeiras em mais de 200 países e territórios em todo o mundo.

.