11 °C
Notícias

Confisco da poupança de Collor completa 26 anos hoje

|


Collor


(LONDRES) – Com Exame - A data de hoje, 17 de março, marca os 26 anos do anúncio do confisco do dinheiro depositado nas cadernetas de poupança. A medida fazia parte do pacote econômico editado pelo então presidente Fernando Collor de Mello no dia seguinte de sua posse.


Na época, foi decretado feriado bancário de três dias. O clima era de perplexidade. Ninguém esperava por medidas tão radicais, sobretudo o bloqueio do dinheiro.


Quando os bancos voltaram a funcionar, a população fazia fila nas portas das agências, que não tinham dinheiro disponível para cobrir os saques dos clientes. Como consequência, as vendas no comércio caíram drasticamente.


Os saques nas cadernetas ou na conta-corrente foram limitados a 50 mil cruzados novos. O pacote determinava o bloqueio por 18 meses com correção e juros de seis por cento ao ano.


O chamado Plano Collor Um foi elaborado pela equipe chefiada pela ministra da Economia, Zélia Cardoso de Mello, que incluía o secretário do Planejamento, Antônio Kandir, o e presidente do Banco Central, Ibrahim Eris. Eles previram um congelamento de recurso equivalente a 30% do Produto Interno Bruto.