11 °C
Negócios

Startup portuguesa chega a Londres e inova com negócios nas redes sociais

|


IMG 2431


(LONDRES) - Da redação - O mercado on-line tem atraído muitos empresários, e os números mostram que até meados do ano passado o volume de negócios via e-commerce cresceu cerca de 15 % na Europa, alcançando os 423,8 mil milhões de euros. E a expectativa é de que os dígitos aumentem ainda mais em 2016, garatem os especialistas do setor.


De olho nesta fatia do mercado, a startup portuguesa Facestore, que vem sendo desenvolvida há quase 10 anos pelo empresário Paulo Solinho Barbosa, CEO do grupo. O nicho encontrado por ele e sua equipe da cidade do Porto são as mídias sociais.



O diferencial deles neste universo de opções de negócios online é permitir que gratuitamente ( até 10 ítens) os pequenos empresários possam colocar à venda seus produtos na rede social Facebook.



De acordo com a Chief Marketing Officer, Bruna Nunes, esta aplicação e ajuda qualquer empresa possa abrir uma loja on-line e vender os seus produtos no Facebook. Entre as soluções oferecidas pela companhia, é possível criar um ambiente de vendas por smartphones e tablets, dando também a possibilidade de comercialização por sites, blogs ou domínios próprios.



A Facestore criou modelos de lojas on-line para diversas áreas de negócio com um sistema de backoffice que possibilita fácil gestão de toda a atividade, com acesso a relatórios de vendas, gestão de clientes, pagamentos, produtos, inventário, encomendas, estatísticas de vendas, campanhas de marketing e muito mais. Atualmente, tem parcerias tecnológicas com companhias como Microsoft, Google e também com a rede que administra pagamentos da Visa, Maestro e American Express, além do sistema Paypal.



Com uma gama completa de serviços, o business prosperou, e já conta com mais de 17 mil clientes em Portugal, e ainda tem clientes na França, Alemanha, Suíça, Espanha e Reino Unido.



O Reino Unido é um dos mercados que mais interessa aos fundadores da empresa e, por esse motivo, a Facestore chegou em Londres na semana passada para diversas reuniões com investidores internacionais e entidades governamentais inglesas. A expectativa é alcançar em 2016 a marca de 10 mil clientes em território britânico.



Entre os encontros desta semana, grupo teve reuniões com a American Express, com o AICEP, com a Chancelaria da Embaixada de Portugal e com a UK Trade & Investment (organismo criado pelo governo inglês para atrair as melhores startups do mundo a fundarem operações no Reino Unido e se tornarem globais).



Entre os objetivos da startup nesta visita é obter financiamento com investidores internacionais e abrir um escritório na capital inglesa e potencializar a integração da plataforma no maior mercado de e-commerce da Europa. O desafio é grande, já que a organização concorre com gigantes do mercado, a exemplo da Amazon, Ebay e Tesco.



Além da rede social Facebook, o grupo também está trabalhando com a plataforma Pinterest para atrair um volume maior de usuários e promover mais negócios.



Empreendedorismo de longa data



Apesar de fundada há pouco tempo, a empresa já tem importantes conquistas no currículo. Ganhou a bolsa de empreendedorismo da Representação da Comissão Europeia em Portugal e foi uma das startups convidadas a participar no Dublin Web Summit, nas edições de 2014 e 2015, sendo o mais importante evento tecnológico da Europa.



No ano passado, veio ao Reino Unido a convite da Microsoft, que ofereceu acesso a toda a sua tecnologia, apoio de sua equipe local e visibilidade mundial a Facestore durante três anos.



A empresa contou com um investimento inicial de 100 mil euros e foi responsável por um volume de encomendas avaliado em 3 milhões de euros. A plataforma da startup já processou mais de 100 mil transações comerciais e cresceu 150%, relativamente ao ano passado. Em 2016, a Facestore espera faturar 1,5 milhão de euros.