15 °C
Londres

Trabalhadores dos Jogos Olímpicos de Londres em 2012 ainda têm milhares de libras a receber

|

Trabalhadoresjogosolimpicos


(LONDRES) - Com Antena Lusa -  Quatro anos depois dos jogos olímpicos de Londres, algumas pessoas que trabalharam para que tudo corresse como previsto ainda esperam pagamento pelo trabalho.



Rukhsana Kauser, que recrutou para o evento, disse que nunca contratou ninguém diretamente, segundo a BBC.


Pelo menos 11 agentes de segurança e guardas pretendem receber até quase 2 mil libras cada um.


Ex-trabalhadores da empresa Britannia Security Service dizem que não vão desistir. Mohammad Anwar, que trabalhou como segurança para a empresa, deveria ter recebido de sete a oito libras por hora, e muitas vezes fez jornadas de 12 horas por dia.



“Ela fugiu com o dinheiro”, disse Anwar, que continua à espera do pagamento de 1800 libras da Britannia Security Service.


Cada um dos trabalhadores tem crédito de pelo menos mil libras com a empresa. A BBC identificou dezenas de outros funcionários sem pagamento.



Jatinder Ghuman, de 30 anos, trabalhou para a Britannia nos Jogos Paralímpicos. Ele atuou como agente de segurança e ainda não recebeu nada, apesar de ter trabalhado 14 dias consecutivos.



“Espero receber cerca de 1500 libras pelo trabalho que fiz”, afirma. “Estávamos em turnos de 12 a 13 horas e nos disseram que se fizéssemos cinco dias seguidos receberíamos um bônus de 250 libras – nem isso recebemos.”


Aamir Rafique, que está com dificuldades em fazer o pagamento do aluguel, disse que teve de realizar um empréstimo após o suposto calote, que diz ter lhe custado 3 mil libras em financiamentos e juros.


Kauser era a única diretora da Britannia em 2012, e hoje a empresa está extinta. A firma foi subcontratada para recrutar e gerenciar pessoal para os jogos olímpicos de 2012 por outra empresa, a AP Security, que diz ter trespassado todos os recursos à Britannia para fazer os pagamentos.



Os empregados tentaram por todos os meios entrar em contato com a Britannia e até hoje nada. Nenhum recebeu resposta a e-mails e telefonemas.



Kauser morava em Londres na altura dos jogos, mas mudou-se pouco depois para Lancashire, no noroeste do país. Ela não quis gravar entrevista com a BBC e nega ter recrutado trabalhadores para o evento.



Anwar e outros dez ex-trabalhadores possuem diversas mensagens e e-mails de Kauser que provam que ela os contratou. Nenhum deles a conhece pessoalmente, mas vão agora tentar a via judicial.