11 °C
Home

Papa Francisco tem encontro mais importante para o Cristianismo em mil anos

|


Papaecirilo


(LONDRES) - Com Folha, Jornal Agora e DN - Papa Francisco chegou na noite da sexta-feira (12) à Cidade do México para uma visita de cinco dias com a finalidade de abordar e discutir temas como corrupção, violência, pobreza.


O pontífice argentino veio de Havana (Cuba), onde realizou um encontro histórico e importante para o Cristianismo em mil anos, com o líder da Igreja Ortodoxa Russa, o patriarca Kirill.


A importância vem do fato que é a primeira vez que os chefes das duas igrejas se reúnem, desde o Cisma, o qual dividiu o Cristianismo entre Oriente e Ocidente em 1054.


"Finalmente!", exclamou papa Francisco ao abraçar o patriarca russo na sala VIP do aeroporto de Havana. "Somos irmãos", disse. Os dois trocaram três beijos no rosto e, por meio de intérprete, Kirill disse ao papa: "Agora as coisas estão mais fáceis."


O encontro rendeu também uma declaração conjunta. Ambos querem uma "ação urgente da comunidade internacional para prevenir nova expulsão de cristãos do Oriente Médio". Ao mesmo tempo, pedem à comunidade internacional que "faça todos os esforços possíveis para pôr fim ao terrorismo valendo-se de ações comuns, conjuntas e coordenadas", mas de modo "responsável e prudente". Aos cristãos, ambos declaram que eles devem rezar para que Deus "não permita uma nova guerra mundial".


Os líderes das duas maiores igrejas cristãs recordam a violência que já causou e causa milhares de vítimas na Síria e no Iraque, os milhões que ficaram sem casa e a urgência da paz civil. "É essencial garantir ajuda humanitária às populações martirizadas", afirmam, apelando para que se faça tudo a fim de libertar pessoas raptadas.


No México, a chegada do papa Francisco ao aeroporto causou muita movimentação e uma multidão de fiéis o esperava com empolgação. O presidente Enrique Peña Nieto e a primeira-dama Angélica Rivera o receberam no local.

O papa chegou ao México num momento delicado e de muita violência no país. No dia anterior, detentos do presídio Topo Chico (Monterrey) fizeram um motim que terminou com 49 mortos e 12 feridos. 


É a sétima visita de um papa no país, que é o segundo maior em número de católicos depois do Brasil.