23 °C
Home

Carnaval no Brasil é marcado por polêmicas, exageros e atenção ao zika vírus

|


Musasdocarnaval


(LONDRES) - por Natália Baffatto - O feriado mais esperado do Brasil começou nesta semana, agitando todo o país. Parece que as questões polêmicas e os desafios da economia ganharam um fôlego para o carnaval, criticou a imprensa internacional. Desfiles, blocos, shows e espetáculos marcam o tradicional repertório dos foliões animados de plantão, mas também polêmicos.


Durante o desfile paulista, a Unidos do Peruche abriu as apresentações do grupo especial de São Paulo no sábado (6). A modelo Ju Isen, uma das integrantes, foi retirada da avenida porque tentou fazer um protesto contra Dilma Rousseff. A brasileira não pôde usar um tapa-sexo com a imagem da presidente e foi flagrada, rasgando a fantasia depois de expulsa.


No desfile da X-9, o integrante Ricardo Henrique Teixeira despencou de uma altura de 10 metros do carro alegórico, durante o desfile da escola de samba, e foi encaminhado à Santa Casa, onde foi contastada uma lesão vertebral.

Ainda em São Paulo, durante as festas nas ruas da Vila Madalena, famosas pelo uso excessivo de drogas e sexo explícito em cantos do bairro, bares têm fechado mais cedo para evitar que a festa se estenda até altas horas.


Segundo a prefeitura de São Paulo, 80 mil foliões foram às ruas no domingo (7), apenas 55% do público dos blocos de sábado, que contou com 145 mil pessoas.


Após a folia, o odor de urina tomava o ar nas ruas paralelas às principais e foi frequente ver homens urinando em postes, no lugar de utilizar as 194 cabines de banheiros químicos, espalhados pela Vila Madalena.


No Rio, quem virou assunto no baile de Carnaval do Copacabana Palace foi o zika vírus e as precauções que as celebridades brasileiras estão tomando. Artistas da Globo lutavam para manter as belas fantasias em meio ao calor demasiado.


Os blocos de Carnaval estão a todo vapor, em especial o famoso Sargento Pimenta, que carnavaliza repertório dos Beatles no Aterro do Flamengo, e o Simpatia É Quase Amor, que prega a paz em Ipanema.


Na avenida, usuários nas redes sociais mostram sua preferência pelas escola de samba. Beija-Flor é a favorita, lado a lado com a Grande Rio. Mangueira fica atrás e Tijuca, cujo tema traz a importância da agricultura, também está entre as prediletas do público.


Em Salvador, como de costume, Ivete Sangalo agitou o trio elétrico. A musa baiana apareceu com dreads no cabelo para cantar no Bloco Coruja, no circuito Osmar, no domingo (7).