12 °C
Esporte

Romário admite que teve conta na Suíça quando era jogador

|

(LONDRES) Da redação com informações do Portal Terra - Após ter o nome citado em conversa entre Edson Ribeiro, advogado do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró e o senador Delcídio Amaral (PT-MS), Romário admitiu, em entrevista ao jornal O Globo, que teve contas bancárias na Suíça.



As gravações levaram à prisão de Delcídio, acusado de atrapalhar investigações da Operação Lava Jato. Segundo o ex-atacante, as contas foram abertas entre 1988 e 1994, período em que Romário defendeu o Barcelona, da Espanha, e o PSV, da Holanda.

“Quando jogava na Europa, tive conta no BSI. Só não sei o ano, não me lembro, mas acredito que se a conta não é movimentada, ela é fechada automaticamente”, declarou Romário, que é senador pelo PSB.


A gravação veio a público na última quarta-feira. No áudio gravado por Bernardo Cerveró, filho do ex-diretor da Petrobras, preso na Operação Lava-Jato, o senador Delcídio Amaral comenta que ouviu de Eduardo Paes um acordo para Romário apoiar Pedro Paulo na candidatura à prefeitura do Rio. Além disso, Delcídio afirma que Paes teria aconselhado Romário a encerrar as contas que supostamente tinha na Suíça, "Senão iria preso". O ex-jogador negou qualquer irregularidade e afirmou que a nova polêmica é "fanfarronice" de Delcídio Amaral. O caso ainda está sendo investigado.


“Em relação ao que o advogado fala, a gente está vivendo um momento diferente no Brasil. Não se pode dar credibilidade a bandido, vagabundo. Ouviram o meu nome na gravação que foge completamente do assunto que esses vagabundos estavam fazendo lá. Estou tranquilo, porque não devo porra nenhuma a ninguém e não tenho conta na Suíça”, afirmou o jogador.

Romário (PSB-RJ) protocolou ofício na Procuradoria-Geral da República para que autoridades brasileiras peçam abertura de investigação na Suíça sobre a suposta conta bancária.

Em julho, a Revista Veja publicou que o senador teria R$ 7,5 milhões no banco BSI, valor que não teria sido declarado à Justiça Eleitoral. Romário sempre negou a existência da conta. O BSI declarou que o extrato apresentado na reportagem era falso. A revista teve que se desculpar com o senador.