11 °C
Notícias

Líder do governo no Senado é preso pela PF

|

Delcídio

(LONDRES) Da redação - A Polícia Federal (PF) prendeu na manhã de hoje o senador Delcídio do Amaral (PT-MS), o banqueiro André Esteves, do banco BTG Pactual, e o chefe de gabinete de Delcídio, Diogo Ferreira. Há ainda mandato de prisão do advogado Édson Ribeiro, que defendeu Nestor Cerveró, ex-diretor da área internacional da Petrobras.


Segundo a PF, o líder do governo no Senado foi preso preventivamente por estar atrapalhando as investigações da Operação Lava Jato. Delcídio foi levado pela polícia do flat onde mora em Brasília. O senador é acusado de ameaçar familiares de Cerveró e, além disso, ter oferecido ajuda ao ex-diretor para fugir do Brasil e não contar nada do que sabia sobre o esquema de corrupção na Petrobras.


A prisão foi determinada por Teori Zavascki, ministro do Supremo Tribunal Federal (STF). O juiz informou que a Procuradoria-Geral da República (PGR) denunciou que o senador ofereceu mesada de R$ 50 mil para Cerveró não fazer acordo de delação premiada.


Segundo a PGR, Delcídio prometeu ao ex-diretor da estatal ajudá-lo em julgamentos no STF. De acordo com o órgão, o senador falaria com o vice-presidente da República, Michel Temer, e com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), para influenciar as decisões do Tribunal.


O relatório da PGR foi baseado em gravações realizadas por Bernardo Cerveró, filho de Nestor Cerveró, durante duas reuniões que tiveram a participação de Delcídio Amaral e André Esteves.